O futuro do Press Release

A cada minuto que passa, tudo ao nosso redor fica mais moderno e ágil. Não é à toa que temos a sensação de que o tempo voa, não é mesmo? E por falar em tempo, esse parece que passa cada vez mais rápido e, claro, reclamamos da falta dele. Pense você agora em um jornalista, que tem que cobrir milhares de acontecimentos ao redor do mundo, quanto tempo ele tem para ler milhões de textos?

Segundo uma pesquisa pela empresa de comunicação Greentarget, 45% dos jornalistas recebem mais de 50 releases por semana e 21% recebem pelo menos 100 comunicados de imprensa nos EUA – no Brasil não é diferente. Isso quer dizer que o press release morreu? Não. O que significa então? Que nós temos que acompanhar as evoluções e modernizar nossas ferramentas de aproximação com a imprensa. Pensando nisso, listei alguns pontos que são importantes para essa modernização, visando sempre ajudar o jornalista e fazer com que as informações cheguem até eles de maneira útil e ágil:

1 – Press releases não podem ter mais de uma página:  nós sabemos da super importância que os acontecimentos de sua empresa têm, porém, no release precisamos apenas das principais informações para otimizar o tempo – tanto nosso, quanto de quem vai lê-lo. A maioria dos releases extensos são descartados. Quando for passar um briefing ao seu assessor, seja sucinto – apenas informações e números relevantes. Deixe para contar maiores detalhes quanto a pauta for aceita.

2 – Opte por sugestões de pauta em primeira instância: antes de enviar o release ao jornalista, tente uma sugestão de pauta ressaltando as novidades e o porquê aquela informação é tão importante para um veículo específico. Isso ajuda na aproximação com a imprensa e economiza tempo.

3 – Não se esqueça: release é ferramenta, não estratégia: sim, é muito importante lembrar que o press release é apenas uma ferramenta e que ela só será usada em casos necessários. Fazer com que seu assessor produza releases sem parar, não é demonstração de eficiência. Resultado eficiente é somente quando sua empresa está na mídia, independente de quantos textos foram escritos.

4 – Materiais simples também são eficientes: dicas e tópicos são muito bem-vindos e podem dar uma “ajudinha” na hora de sair na imprensa. Textos mais dinâmicos são sempre bem aceitos, dependendo de que assunto se trata.

Por fim, quando o seu assessor sugerir algo que fuja ou até mesmo deixe o release mais simples, entenda que não é preguiça ou má vontade e sim, trata-se de estratégia e otimização de tempo –  tudo para manter o bom relacionamento com a imprensa.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é responsável por Planejamentos Estratégicos e Conteúdo na PiaR Comunição.

Plano de Comunicação tem que ser flexível

Já falamos aqui algumas vezes da importância de um Plano de Comunicação. Sei que muitas vezes pode parecer bobagem, mas ele é uma ferramenta importante para a orientação do trabalho de assessoria de imprensa. É como dizem “Quem não sabe para onde está indo, qualquer lugar serve”, e não é isso que queremos para a sua marca, não é mesmo?

Pois bem, dito isso e aceito que ele é sim parte essencial do trabalho a ser desenvolvido, quero ressaltar aqui que ele não é – e nem deve – ser engessado. Aqui na agência, enviamos um cronograma ou planejamento de ações todo começo de mês. Isso serve tanto para dar um norte para os atendimentos, como para que o cliente se sinta confortável com as atividades que virão pelas próximas semanas.

Tudo que é proposto tem a obrigatoriedade – sim, obrigatoriedade – de seguir a linha de negócios de cada cliente, procurando e propondo estratégias e veículos que possam ajudar a alavancar uma das duas pontas que tratamos como prioridade: branding e geração de leads.

Por isso, que ressalto que apesar das sugestões, o plano é totalmente flexível. Ele pode ser alterado a qualquer momento, desde que o objetivo seja aprimorar a estratégia e os veículos a serem atingidos. Portanto, sua participação nos planos de ações mensais é essencial e pode enriquecer muito o processo. Então, quando sua agência mandar o cronograma não ache que é “bullshit” 😉

*Por Renniê Paro

Fuja da Fábrica de Press Release

Quando uma empresa começa a trabalhar com uma assessoria de imprensa, vários procedimentos são adotados para que se realize um trabalho efetivo. Dentro desses procedimentos existem algumas ferramentas que são utilizadas em estratégias de divulgação e uma delas é o tão famoso press release.

O release nada mais é do que um texto que segue algumas regras e estruturas jornalísticas. Ele é sempre usado como base para o envio de informações para a imprensa. O problema é que com o “boom” de assessorias de imprensa no mercado, muitas pessoas se aproveitaram para vender essa ferramenta de forma errônea e aleatória. O release faz parte da estratégia, ele é apenas uma pequena fração de todo um procedimento a ser feito no contato com a imprensa que vai servir de apoio para uma sugestão de pauta ou até mesmo auxiliar o jornalista na hora de escrever a matéria.

Outro ponto que é importante ressaltar é que jornalistas recebem milhares de e-mails por dia, inúmeras sugestões de pautas e releases, e acreditem: entupir a caixa de entrada deles não é melhor forma de ser notado. A aproximação com a imprensa vai muito além do que enviar um simples texto. Quando falamos em aproximação com a imprensa, pensamos em criar um relacionamento de confiança com o jornalista para que em outras oportunidades ele se lembre de sua empresa sem que você precise ‘perturba-lo’. Se você ou a sua ‘fábrica de releases’ apenas enviar um texto, você não conseguirá criar esse elo e acabará caindo no esquecimento.

O resultado que uma assessoria de imprensa deve entregar ao cliente vai muito além de um release bem escrito. Ele é apenas o primeiro passo para a construção de um resultado bom. Boas publicações não surgem do simples envio de um release a imprensa, acredite. Matéria-prima de jornalista é a notícia: não adianta você não ter consciência daquilo que é ou não relevante para a audiência de cada mídia. O release pode estar perfeitamente escrito, mas se não houver notícia ou informação relevante, ele é inútil. Exercite sua capacidade de compreender o que é ou não notícia.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é responsável por Planejamentos Estratégicos e Co

Veículo de massa – Você está preparado?

Atire a primeira pedra quem nunca pensou em contratar uma assessoria de imprensa querendo ser a matéria de destaque no Jornal Nacional (ou qualquer outro programa, de qualquer outra TV). Pois é, esse é o sonho da vida de todo empreendedor, mas farei aqui o papel de chata – sim, esse é uma dos nossas principais funções.

Quando você colocar no seu plano de ações com a imprensa os veículos de TV, proponho se fazer algumas perguntas: sua plataforma/startup/solução está preparada para atender (e muito bem) todos os consumidores que podem vir de uma matéria na TV? Você tem dados e informações relevantes para passar para esse público (que é mais generalista, portanto pouco adiantam termos técnicos)?

Pois é, antes de cobrar e pressionar sua equipe de PR para sair em programas de TV, pense, repense e pense novamente nessas questões. Além disso, vale lembrar que em matérias de TV você nunca sairá sozinho, ou seja, seu concorrente poderá pegar uma carona na pauta que sua equipe propôs e ganhar tanta visibilidade quanto você.

Por isso reforço aqui, sair na TV é lindo, é ótimo, desde que faça sentido para sua estratégia de negócios. Conseguir um espaço por “capricho”, pode gerar resultados negativos, como: problemas na plataforma que não comporta o número de acessos e cai (gerando uma onda de reclamações), não entrega de produtos pelo alto número de pedidos (fazendo com que as pessoas deixem de consumir da sua marca), entre tantos outros.

Por fim, vale sempre ter em mente que a TV é um meio de comunicação que chega na casa da “Dona Maria” tanto quanto no tablet de um grande executivo, portanto a comunicação deve atender toda essa massa e fazer sentido para o dia-a-dia deles. Caso contrário, ser destaque na TV poderá ser um grande tiro no pé. Pense nisso!

*Por Renniê Paro

Por que é importante ouvir sua agência de comunicação?

Quem melhor que você para falar sobre a sua empresa e as soluções que desenvolveu em seu negócio?  Ninguém, não é mesmo? E também é normal que você confie na palavra de um especialista e siga as recomendações dele para aprimorar a startup. Por que então seria diferente com a sua agência de PR? Sua assessoria de imprensa é a especialista em comunicação e é muito importante que ouça, confie e siga os passos que eles instruírem.

Citei abaixo alguns motivos pelos quais você deve sempre ouvir sua agência:

  • Estratégia: com certeza sua assessoria traçou um planejamento antes de começar efetivamente o contato com a imprensa. Quando sugerimos alguma pauta ou ação, é porque estudamos sua empresa e mercado e identificamos exatamente como a imprensa pode aproveitar a notícia.
  • Jornalistas: seu assessor já tem relacionamento com os jornalistas e já conhece exatamente como agir em determinadas situações. Não atropele o contato entre eles, isso pode atrapalhar o trabalho do seu atendimento daqui para frente.
  • Prazos: Nós já conhecemos a mecânica das redações, já sabemos quando e como abordar os jornalistas. Datas de fechamento e de circulação, por isso é sempre bom que a comunicação seja centralizada em nós.

Entenda: não quer dizer que você tenha que concordar com tudo o que sua assessoria de imprensa propõe – não tem. Questionamentos são válidos e sugestões são sempre bem-vindas, mas sempre lembrando que, nesse caso, o especialista no assunto é o assessor. Dê ouvidos a ele e com certeza seu negócio terá sucesso com a imprensa.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é responsável por Planejamentos Estratégicos e Conteúdo na PiaR Comunição.