PROPÓSITO DE FELICIDADE: PODE SONHAR, SEM TIRAR OS PÉS DO CHÃO

Com certeza você ouviu sua agência de PR falar “qual é seu objetivo com assessoria de imprensa?” ou “quais veículos você quer aparecer?”. Essas perguntas norteiam o plano de comunicação que fazemos para os clientes. Por meio das informações que coletamos, conseguimos traçar o seu Propósito de Felicidade.

É muito comum alguns empreendedores pedirem para sair na capa de uma revista ou jornal. Se o seu sonho for plausível com o seu negócio, por que não? A verdade é que não basta somente querer estar no Valor Econômico, Exame e nos principais programas de Tvs, fazer o exercício e responder as seguintes perguntas podem dar um melhor direcionamento para conquistarmos “a felicidade”. Um exemplo: se questione “O que meu negócio tem a oferecer?; Com qual notícia posso contribuir para conquistar esses espaços?; Quais são as novidades que vamos abordar?; entre outros pontos. Dessa forma, a proposta de felicidade está dentro daquilo que conseguimos oferecer para os jornalistas.

O fato é que muitos querem “estourar” e aparecer em todos os canais possíveis, mas poucos fazem uma autoanálise de como contribuir para conquistar esses espaços. Nessa situação, sua assessoria tenta direcionar o trabalho e mostrar o melhor caminho para sua exposição, por outro lado, o empreendedor dificilmente consegue controlar sua ansiedade e entender que alguns processos são demorados.

Por fim, o que eu quero dizer é que você pode sim sonhar alto, grande, mas sempre com os pés no chão. Sua agência de PR está pronta para te ajudar a conquistar esses objetivos e orientar você e sua empresa da melhor forma. Um plano de comunicação bem estruturado e alinhado, não tem como dar errado.

*Por Juliana Gusmão

ASSESSORIA DE IMPRENSA, CS E A JORNADA DE FELICIDADE DO CLIENTE

Passei muito tempo da minha vida profissional tentando achar a fórmula mágica para agradar toda a nossa carteira de clientes. Resultados em grandes veículos, link em matérias online, foto de divulgação e… falhei. Os clientes não são todos iguais. Têm necessidades e desejos diferentes. Ou seja, a única coisa que descobri foi que precisava achar ou criar outra fórmula: satisfazer o cliente, da maneira como ele espera e não como eu acho que é melhor. Entendi que só entregar resultados relevantes não é o suficiente. Claro que 90% dessa “felicidade” vem daí, mas ainda assim, não é o caminho completo do sucesso.

Por fim, estudamos muitos métodos e para alguns funcionava bem, para outros nem tanto. Sempre muito difícil chegar a um consenso de como satisfazer o cliente por inteiro.  Foi então que, depois de muito estudar, pesquisar, conversar com nossos parceiros, finalmente no ano passado maturamos a ideia de criar uma unidade de Customer Success. Mas CS em assessoria de imprensa? Sim, porque não? Afinal, queríamos garantir a melhor experiência possível para os clientes por meio da geração de valor. “Mas vocês já não faziam isso?” Sim. Porém, havia um desalinhamento entre o que era valor para nós, da agência, e o que realmente significava para o outro lado. Por vezes entregamos resultados que seriam considerados geniais para qualquer assessor de imprensa, mas isso não era o suficiente. Onde estávamos errando? A unidade de Customer Success veio exatamente para acabar com essa dúvida.

Como falei lá em cima, cada startup tem uma necessidade e metas diferentes. Então porque não acompanhá-las de perto, entendendo exatamente o que precisam e juntos traçarmos o caminho de felicidade de cada um? Em outras palavras, garantir o sucesso do negócio do nosso cliente. Até porque, pode parecer clichê, mas a felicidade e o sucesso do nosso cliente, também é o nosso. Muitas vezes pode parecer óbvio, mas finalmente entendemos que até os mínimos detalhes importam muito! Se juntos definirmos o que é sucesso e como chegar até ele, com certeza a experiência será infinitamente melhor para todos os envolvidos.

*Por Bruno Pinheiro

POR QUE PENSAR COLETIVAMENTE PODE SER MELHOR PARA SUA STARTUP?

Quando falamos em negócios, na minha opinião, quase sempre é melhor pensar coletivamente; até porque, empresas dificilmente se erguem sozinhas, não é mesmo? Sempre tem mais de uma pessoa por trás das cortinas, ou seja, uma equipe, que trabalha para que isso seja realidade. E por incrível que pareça, pensar coletivamente, quando falamos em imprensa, também quase sempre é vantagem.

Mas como assim, pensar coletivamente? No dia a dia de uma assessoria de imprensa, nos deparamos com alguns empecilhos. Um deles e, na minha opinião, um dos mais difíceis de vencer, é o ego de alguns empreendedores.  Ele tem que aparecer, ele tem que falar, ele tem que fazer. O negócio dele tem que ser destaque. O grande problema que encontramos aqui é que nos dias de hoje, para a imprensa é mais interessante falar sobre o mercado em geral, não só sobre uma única empresa. E é aí que começa o pesadelo.

“Como vou dividir uma matéria com meu concorrente?”; “Se isso acontecer, não vou promover o negócio dele também?”  Fique calmo. Já foi a época em que só grandes marcas dominavam o mercado e o público as consumia cegamente apenas por serem as maiores. Hoje tem espaço para todo mundo. Quem decide qual serviço vai utilizar, qual produto vai consumir, é o consumidor – por opinião própria. Estamos na Era da Experiência. Quem proporciona uma experiência melhor para o seu público, ganha. Mas veja, isso não depende da imprensa, não depende do consumidor, depende de você, da sua empresa.

Resumindo, não é uma matéria de mercado, com mais de uma empresa do seu segmento, que vai fazer com que sua marca não seja consumida ou seu serviço não seja o escolhido. Muito pelo contrário –  quando mais visibilidade, melhor. Quanto mais credibilidade de exposição na imprensa, melhor. Então, não se importe se sua empresa dividir espaço com outras empresas, concorrentes ou não. Olhe sempre pelo lado positivo: isso promove sua marca? Pode trazer mais leads para o seu negócio? Vai ajudar a criar credibilidade para o que você faz?  Então você está no lucro.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 09 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Head de Marketing na PiaR Comunicação.

O QUE CONTRATAR PRIMEIRO: ASSESSORIA DE IMPRENSA OU GESTÃO DE REDES SOCIAIS?

*Por Renniê Paro

Quando uma startup chega ao ponto de pensar em investir em comunicação, sempre surge a grande dúvida: PR ou Social Media? Como já falamos anteriormente (em inúmeros textos no ano passado), comunicação não é pastelaria, portanto não há uma única resposta.

Uma dica que pode ajudar nesse momento de decidir onde investir seu budget, é responder um roteiro simples (mas que fará todo sentido):

– Você quer gerar novos leads e downloads? SOCIAL MEDIA

– Você quer aumentar seu awareness e branding? PR

– Quer que sua startup seja reconhecida como referência em seu setor de atuação? PR

– Quer que as pessoas compartilhem de conteúdos específicos e institucionais? SOCIAL MEDIA

– Quer fazer parte do hall de startups que mais se destacam e contribuem para o ecossistema empreendedor do país? PR

Pode parecer pouco, mas essas cinco perguntas podem ajudar a nortear onde você deve investir grana e o que esperar de cada uma dessas ferramentas. Quanto a “quem vem primeiro”, não há uma regra exata para isso também. O mundo ideal é que as duas formas de comunicação possam caminhar juntas, com uma linguagem coerente entre ambas e que possam entregar resultados efetivos, dentro de seus respectivos focos.

Ainda está em dúvida? Não tem problema, manda um e-mail ou liga aqui que a gente te ajuda a encontrar o melhor caminho. O que não pode é ficar sem Comunicação em 2018 😉

*Renniê Paro é jornalista formada desde 2008 na Universidade Paulista, com pós graduação em Comunicação Organizacional na FMU. Com mais de 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Head de Customer Success na PiaR Comunicação.

REPUTAÇÃO É A MELHOR FORMA DE FAZER PROPAGANDA

Sabemos que a reputação de uma marca é um dos fatores mais valiosos para um bom negócio. E o trabalho de PR tem uma participação nesse processo. Traçar metas, objetivos e estratégias nesse início do ano é a melhor forma de estruturar sua comunicação e colher bons resultados no futuro.

Você que nunca trabalhou com assessoria de imprensa deve se perguntar – Mas o que, de fato, vocês podem agregar de valor para minha marca? Eu te repondo – muita coisa! Um trabalho de PR envolve algumas vertentes, entre elas entender o momento da sua empresa, seus objetivos e a mensagem que você quer passar para seus steakholders. A partir disso, nossa missão é traçar estratégias efetivas para construir a imagem da sua empresa nos veículos de comunicação, por exemplo.

Cavar oportunidades para você, fundador ou outro porta-voz, falar sobre mercado, dar dicas ou opiniões construtivas sobre o setor, são estratégias que a longo prazo que tornam sua empresa referência em um determinado assunto. Quanto mais você sai na mídia em matérias sobre a sua empresa e, principalmente, em matérias de mercado, você ganha reconhecimento e torna-se fonte.

O que não se pode esquecer é que uma marca forte não nasce do nada. É um trabalho de formiguinha e a agência de PR está aí para ajudar a conquistar uma fatia de mercado com matérias relevantes, pautas, encontros de relacionamento, entrevistas e estratégias que ajudam na construção da imagem da sua marca na imprensa.

Por fim, ainda acredito que a reputação é a melhor maneira de fazer propaganda. Quem tem um DNA definido e objetivos bem declarados, tem mais chances de se destacarem no seu mercado de atuação. E aí, já pensou em contratar uma assessoria de imprensa para te ajudar a dar um direcionamento na construção da sua reputação na imprensa?

*Por Juliana Gusmão