LEITURAS OBRIGATÓRIAS

O mês chegou ao fim e quero deixar uma listinha (simples e despretensiosa) de livros que podem te ajudar a ver (e rever) algumas informações bem bacanas do nosso mundo de PR:

– Uma Assessoria de Imprensa Responsável na Era Digital (Marguerite Hoxie);

– Assessoria de imprensa – como se relacionar com a mídia (Maristela Mafei);

– Muita sorte e pouco juízo (José Roberto de Alencar);

Esses são apenas algumas sugestões, mas existem milhares de títulos que abordam o nosso dia a dia.

Se ampliarmos para outras áreas do jornalismo, nossa biblioteca fica ainda maior!!
O importante é entender que o hábito da leitura é fundamental para que possamos fazer nosso trabalho bem feito.

Jornais, sites, revistas, blogs e, claro, livros são parte de nossas ferramentas diárias e não podemos deixá-los de lado nunca.

O que você anda lendo?

*Por Renniê Paro

FAKE NEWS X ASSESSORIA DE IMPRENSA

Não tem como negar que somos bombardeados pelas fake news diariamente, independente do canal que escolhemos para consumir notícias. E nesse contexto, o papel do assessor de imprensa torna-se extremamente importante para evitar que alguma notícia inverídica seja publicada ou replicada em algum local.

Com a evolução da tecnologia e o surgimento de plataformas e redes sociais, a busca pela informação é muito mais rápida. Porém, ao mesmo tempo que temos essa evolução, essa praticidade de consumo de notícias traz algumas preocupações às empresas e gestores – a propagação das fake news.

E diante desse cenário, você sabe qual é a importância de ter uma assessoria de imprensa envolvida em todo processo de comunicação? Além de sermos responsáveis por todo relacionamento com a mídia, temos a obrigação de mapear todas as notícias que envolvem o nosso cliente. E caso alguma informação falsa seja publicada por um determinado veículo, nós conseguimos imediatamente entrar em contato e repassar a informação correta.

Essa agilidade e o fato de estarmos sempre presentes no dia a dia do cliente, corrobora para que tenhamos acesso a todas as informações sobre o negócio. O relacionamento com os jornalistas também permite uma abertura, caso situações como essa ocorram.

Por fim, acredito que vale reforçar a importância das empresas contratarem uma assessoria de imprensa, pois além de ajudarmos a construir o branding, caminhamos lado a lado com nossos clientes para ajudar no que for preciso e intermediar um papo com jornalista caso aconteça algum fato relacionado a fake News. Pense nisso!

*Por Juliana Gusmão

PRIMEIROS PASSOS EM PR

30, 60 e 90 dias! Tá aí um bom termômetro para quando você começa a se aventurar pelo mundo das Assessorias de Imprensa. Esse período pode te mostrar o que esperar de sua agência de PR e como você conseguirá avaliar as entregas de PR.

Nos primeiros dias, é essencial você entender a importância de um onboarding bem feito! Por isso, tire um tempo razoável para explicar “tim tim por tim tim” o que é sua startup e como vocês atuam no mercado. Ainda mais relevante é ter definido em sua cabeça: qual é seu objetivo com PR (se for vendas ou aumento de downloads, melhor desistir) e quais são as personas de seu produto/serviço.

Somente com essas informações sua equipe de PR poderá começar a traçar planejamentos e ações de divulgações para conseguir entregar aquilo que você espera e precisa.

Agilidade, de ambos os lados, também é fundamental para que o trabalho seja bem realizado. Nenhum material sairá para divulgação sem o seu OK final, portanto quanto mais você demora para dar retornos para sua agência, mais demorados serão os resultados.

Outro ponto, controle sua ansiedade. Eu sei que quando contratamos um serviço, queremos ver resultados o mais rápido possível. Mas comunicação é um processo, é um trabalho de formiguinha mesmo, onde criamos pontes entre sua marca e a imprensa, portanto paciência é fundamental para construir relacionamentos que sejam duradouros.

Último item para você que está começando: administre suas expectativas. Se você contrata uma agência de PR e só pensa em dar entrevistas ou ter uma matéria no Fantástico, por exemplo, é melhor repensar e conversar com a equipe de PR para entender o que é, ou não, possível fazer com sua marca na imprensa. Afinal, nem todo conteúdo é para TV ou uma grande matéria. Pense nisso 😉

*Por Renniê Paro

COMO CRIAR UM MAILING?

No texto de hoje, vamos falar um pouco sobre como criar um mailing, conseguir impactar contatos chaves e emplacar matérias relevantes para os clientes. Claro que todo assessor quando começa em alguma empresa já tem o costume de conversar com o jornalista A ou B ou tem proximidade com o veículo C ou D. Isso é ótimo, pois ajuda o profissional na hora de vender sua pauta e apresentar os seus novos clientes.

Mas, e quando ele ainda é novo no mercado ou desconhece o segmento de atuação do cliente que irá atender? Como criar um mailing assertivo? Geralmente, a maioria das assessorias de imprensa possui ferramentas que ajudam nessa elaboração. Primeiro de tudo, entender o propósito da pauta e o público-alvo de cada veículo é essencial para fazer um pitch assertivo.

De nada adianta você tentar emplacar uma notícia sobre negócios se o jornalista que você está falando cobre política. Por isso, entender qual a estratégia de divulgação e quem você quer impactar é importante para que o trabalho dê certo e o jornalista compre sua ideia.

Conversar com os colegas de trabalho também corrobora para um contato mais direto e para conhecimento de novos profissionais nas redações. Já presenciei diversas situações em que um assessor vendeu a pauta de outro para o contato mais próximo que tinha no Valor Econômico e a matéria deu certo. Essa prática é muito comum no nosso dia a dia e todo mundo ganha – cliente, assessor e jornalista. Afinal, é uma via de mão dupla, não é mesmo?

Por fim, acredito que um dos pontos principais para elaborar um bom mailing é entender com quem você quer se comunicar e ler o veículo que deseja abordar para conhecer a linguagem e quem escreve sobre o que. Seguindo esses passos, tenho certeza que seu contato com a imprensa será efetivo e trará bons resultados.

*Por Juliana Gusmão

PARCERIA ENTRE ASSESSORIAS CONCORRENTES

Quando você ouve a palavra “concorrentes” automaticamente vêm à mente alguém que joga “contra você”. Mas nem sempre isso é verdade.

No mundo das assessorias de imprensa não há tanta competição quanto se pensa (pelo menos não entre as agências “gente boa” rs). Nós aqui na PiaR gostamos e até incentivamos que sejam criadas as chamadas Pautas Casadas, ou seja, quando colocamos duas ou mais startups que tenham serviços, produtos similares ou complementares para que a pauta ganhe força e chame a atenção do jornalista.

Quando temos casos aqui dentro de casa, ótimo. Mas quando não temos, porque não ligar para a assessoria da startup que queremos colocar na pauta e sugerir uma ação conjunta? A receptividade das outras agências é, em 99% dos casos, positiva e surte efeitos positivos para todos.

Gostamos dessa prática primeiro porque acreditamos que há espaço para todos (clientes, assessorias, pautas…) e que juntos somos mais fortes. Não há porque se blindar e parecer intocável ou evitar falar com as outras agências e startups.

O ecossistema é extremamente rico e se todos baixarem a guarda, ele pode ser sempre aprimorado. Por isso, não tenha medo de propor uma pauta casada, ligar para o colega de PR e unir esforço em prol de algo maior que nosso ego jornalístico.

😉

*Por Renniê Paro