PONTE MANAUS – SÃO PAULO: O QUE MUDA ENTRE CADA ECOSSISTEMA?

Como vocês devem ter acompanhado, a PiaR iniciou seu Projeto Regiões, onde vamos ter uma unidade de atendimento em cada região do País. Começamos por Manaus, em janeiro. Junto com nosso Correspondente PiaR, Danilo Egle, rodamos o ecossistema, passando por coworkings, startups, entidades de fomento, organização de sociedade civil, universidade, órgãos públicos e governamentais. E o que vimos é um nível de maturidade muito grande, com startups já tracionando e atendendo demanda local com a mesma qualidade que startups do eixo RJ-SP-MG.

Um outro ponto interessante é que em Manaus existe uma participação intensa da indústria em Pesquisa e Desenvolvimento, P&D. Como parte do programa de incentivo, iniciado na Zona Franca, há diversas iniciativas que reúnem a indústria e comunidade de inovação, além de observar a união de grandes empresários na melhora do mercado. Entretanto, há uma diferença perceptível na forma como todos esses agentes atuam. Ainda não há uma “liga” entre eles, portanto é nítida a necessidade de ter todos trabalhando sob a mesma agenda e trocando informações.

Talvez isso seja o reflexo da evolução do ecossistema local, mas é absolutamente natural em mercados que não têm a mesma atenção da mídia. Isso me dá a certeza de que a PiaR terá um desafio empolgante pela frente: contar para todos os Estados da região, e principalmente para o Brasil, as histórias desses agentes. Manaus será, muito em breve, uma das principais vitrines de startups do Brasil.

*Por Bruno Pinheiro

Publicado por

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.