A geração Z está chegando ao mercado de trabalho e promete trazer mais mudanças nas relações entre empresas e colaboradores. Segundo um levantamento do Núcleo de Estudos e Tendências da Atento, uma das empresas líderes mundiais em serviços de gestão de clientes e terceirização de processos de negócios, até 2025, representará 70% da força de trabalho em todo o mundo.

Nascidos no século 21, após o boom da internet, esses jovens praticamente nasceram com um smartphone na mão! São conectados, multitarefas, antenados e estão um passo à frente dos seus antecessores, os famosos millennials, que tiveram que se adaptar às novidades tecnológicas que foram surgindo ao longo dos anos.

Criativos e curiosos, os “Gen Z” já trazem no seu DNA um perfil inovador, sendo movidos a desafios, porém, sem deixar sua vida pessoal de lado. De acordo com o Guia “As Melhores Empresas para Começar a Carreira”, desenvolvido pela Editora Abril e pela Fundação Instituto de Administração (FIA), a principal razão para eles se manterem em um emprego é perceber que estão aprendendo e se desenvolvendo continuamente (29%); seguida do fato de se sentirem satisfeitos e motivados com o serviço que realizam (20%).

Altos salários por si só não impulsionarão esses jovens. Eles estão procurando sempre por algo a mais, por um propósito de vida e novas experiências. Para atrai-los, é necessário, antes de mais nada, oferecer um ambiente dinâmico, jornadas flexíveis e a possibilidade para criar, inovar e opinar, sem se preocupar com hierarquias. Caso não encontre isso, “thank u, next”!

Por isso, é preciso que as empresas adaptem desde já seu modelo de gestão. É necessário, antes de mais nada, encontrar novas formas para manter os colaboradores com esse perfil engajados. Esqueçam as lideranças horizontais! O foco agora é no desenvolvimento e no protagonismo das equipes, que devem participar ativamente das decisões das organizações.

O crescimento profissional é um dos fatores mais interessantes para os Zs. Neste contexto, oferecer treinamentos, cursos, workshops e automatizar processos internos com a utilização das novas tecnologias podem ser ferramentas importantes para manter esses profissionais motivados e interessados em permanecer em um cargo.

Embora a entrada desses jovens no mercado de trabalho ainda esteja no início, é essencial já começar a ajustar o ambiente interno para recebe-los e não perder talentos ao longo dos anos. Será que empresa já está preparada para essa mudança? Se sua resposta foi não, é melhor correr! Afinal, se tem uma característica que destaca a geração Z dentre as demais é o imediatismo!

*Bruna Sant’Anna Froner é Relações Públicas formada desde 2009 pela Universidade Metodista de São Paulo, com pós-graduação em Marketing e Comunicação Integrada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Com 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Equipe na PiaR Comunicação.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.