DO BRASIL PARA O MUNDO!

Nos últimos anos, a palavra internacionalização vem se destacando no segmento de startups. O termo se refere a empresas que estão expandindo sua atuação para diferentes países, seja com a exportação de um produto ou serviço, seja pela abertura de uma filial no exterior. Esse é o sonho da maioria dos empreendedores, ter sua marca reconhecida globalmente.

Segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2018/2019, estudo realizado por pesquisadores de mais de 100 países diferentes, a internacionalização de uma startup pode ser influenciada por diversos fatores como políticas de livre comércio, procedimentos simples e não restritivos, logística eficiente e econômica, fronteiras compartilhadas e cooperação entre culturas comuns e economias linguísticas.

Para iniciar esse processo, é necessário passar por uma série de etapas. A primeira é fazer uma boa pesquisa de mercado e entender se o país para o qual você pretende expandir a sua empresa será receptivo ao seu produto ou serviço, quais são os seus concorrentes e, principalmente, as leis e tributações que envolverão a sua operação.

O segundo passo é o planejamento. Elabore um plano estratégico que envolva ações de marketing e a contratação de colaboradores que trabalhem localmente. Dependendo do seu negócio, é interessante ter um time local, que conheça possíveis barreiras culturais e o ajude a driblá-las.  

Outro ponto que é importante é ter parceiros locais, como fornecedores e distribuidores, que permitam que você atue com segurança no exterior. Por muitas vezes, as tarifas para exportar uma matéria prima do Brasil para fora são altíssimas, o que pode acabar impactando negativamente no faturamento da sua empresa.

O Brasil é ainda considerado um dos países menos internacionalizados do mundo. Para mudar essa realidade, já existem algumas iniciativas para ajudar startups em ecossistemas externos. Um exemplo disso é o StartOut Brasil, programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo.

O projeto surgiu com a meta de maximizar o volume de negócios de startups com o exterior e em um ano de programa, mais de 56 startups já foram levadas para imergir nos ecossistemas de Buenos Aires, Paris, Berlim, Miami, Lisboa e Santiago. Em junho, o StartOut Brasil vai apoiar mais 20 empresas, desta vez em Toronto.

Por isso, é imprescindível entender que expandir para um outro país requer muito preparo, porém, com a ajuda especializada, boas parcerias locais e um bom plano de atuação completo, as chances de sua empreitada dar certo são muito maiores. E você, já está preparado para internacionalizar sua startup?

*Bruna Sant’Anna Froner é Relações Públicas formada desde 2009 pela Universidade Metodista de São Paulo, com pós-graduação em Marketing e Comunicação Integrada pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Com 10 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Equipe na PiaR Comunicação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.