O FUTURO AO JORNALISTA PERTENCE!

Nos últimos anos, observamos uma enxurrada de novidades ligadas aos meios de comunicação. Algumas delas não foram tão boas porque engloba, por exemplo, a notícia sobre a recuperação judicial do Grupo Abril e o anúncio feito pelo mesmo sobre o fechamento de diversos títulos como Elle, Boa Forma, Mundo Estranho, Arquitetura, Casa Claudia, entre outros.

Outro ponto que foi muito discutido por nós assessores em especial, foi a troca de jornalistas de uma editoria para outra. Isso ocorreu devido à instabilidade econômica que nosso país vive atualmente e que também impactou muitas mídias. Em outros textos que escrevi aqui para o blog, cheguei a comentar que o trabalho de uma assessoria de imprensa vai muito além de somente divulgar uma pauta ou outra, mas sim deve ser baseada em RELACIONAMENTO.

Ou seja, quando você se aproxima de um profissional importante dentro de um determinado veículo de comunicação, você torna-se um ponto focal estratégico. Nessas situações de desligamentos e redução nas redações, por exemplo, aquele jornalista que você mantinha contato pode ingressar em outro jornal ou revista relevante, e pode ter certeza – ele irá lembrar de você!

Por outro lado, quando falamos de coisas boas nesse segmento, também tivemos o lançamento de novos canais de divulgação como os podcasts, que nada mais são que um arquivo digital de áudio transmitido por meio da internet com objetivo de divulgar informações sobre os mais variados temas. Para se ter uma ideia, de acordo com os dados da Audio.ad, empresa de publicidade em áudio digital, aproximadamente 25% dos brasileiros que já ouvem áudios digitais também consomem podcasts. Outro dado interessante está relacionado ao valor desse modelo de negócio – que segundo a consultoria PWC – valerá US$ 1 bilhão de dólares em 2020.

Ainda de acordo com a PWC, 70% dos entrevistados ouve o conteúdo de três a seis vezes por semana. Já o Spotify, plataforma de streaming de música, aponta que o consumo de podcasts aumentou 250% de dezembro de 2017 para o mesmo período em 2018. A empresa ainda reforça que desde o início de 2019, esses números quase dobraram.

Diante desses dados, ao que tudo indica é que essa nova mídia tem grande potencial de capilaridade e veio com tudo para ficar. Alguns veículos já entenderam sua força de disseminar conteúdos e passaram a implantar a ferramenta como uma opção para divulgar suas notícias. A TV Globo anunciou o lançamento de alguns podcasts para abordar diversos temas ao longo das semanas; a revista Você SA também apostou na plataforma; o Infomoney tem um com foco em bate-papo com empreendedores de grandes negócios e por aí vai.

Por fim, a nós assessores nos resta ficar de olho na evolução do mercado de comunicação e orientar nossos clientes sobre quais são as melhores estratégias a seguir e a mídia que faz mais sentido divulgar determinado assunto. Afinal, o futuro ao jornalista pertence!

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com oito anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Gerente de Núcleo na PiaR Comunicação.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Saiba como seus dados em comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: