Ir para conteúdo

POR QUE UNICÓRNIOS ESCOLHEM O BRASIL PARA EXPANDIR?

UNICÓRNIOS-NO-BRASIL

O termo unicórnio tem se tornado constante em nosso dia a dia. Nos últimos anos, várias empresas atingiram o valor de mercado de mais de U$ 1 bilhão com um modelo de negócio escalável. No início desse ano, por exemplo, a Loft, especializada em venda e reforma de imóveis, foi a mais recente startup a entrar nesse mundo seleto.

Segundo uma pesquisa realizada pela CBInsights, plataforma de inteligência de mercado de tecnologia, em janeiro de 2019 já existiam mais de 325 unicórnios no mundo. Ao todo, são 16 fundadores entre os brasileiros e esse número tende a crescer, segundo o levantamento feito pelo Distrito em parceria com a KPMG.

Para quem não acompanhou as movimentações no final do ano passado, o Brasil foi o país escolhido pelo unicórnio asiático Lalamove, plataforma online de soluções em entregas que conecta usuários e empresas a motoristas parceiros, para expandir sua atuação e empoderar ainda mais a comunidade local por meio da entrega no mesmo dia, de forma rápida e simples.

Para os empreendedores, o Brasil é considerado uma das maiores economias do mundo e muito similar aos mercados que já operam. Eles entendem que os desafios são muitos, mas acreditam que pelos processos ainda serem manuais e analógicos nesse mercado, há um leque de oportunidades para ajudar a moldar esse segmento.

Apesar da lenta recuperação da economia local, o país tem se mostrado mais maduro não só por ter diversas startups que se tornaram unicórnios, mas por ser um polo de inovação que vem crescendo consideravelmente. Temos regiões que são fortes no desenvolvimento de novos negócios, as mídias passaram a compreender melhor o propósito de cada empresa e a olhar com carinho esse ecossistema. Até mesmo os governantes têm visto essas inovações com outros olhos e investido verbas para capilarizar bons negócios.

Temos aí um oceano azul para ser explorado!

*Por Juliana Gusmão

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: