Ir para conteúdo

REDAÇÕES REDUZIDAS, SOBRECARREGADAS E EXCESSO DE INFORMAÇÃO. COMO PODEMOS AJUDAR?

Não é novidade para ninguém que durante o ano passado diversos veículos de comunicação foram fechados ou reduzidos devido a falta de verba para se manterem no mercado. Esse cenário fez com que nós, assessores de imprensa, adotássemos uma postura diferente e mais colaborativa na hora de fazer uma abordagem para vender uma pauta ou uma notícia.

Agora, mais do que nunca, devido ao cenário de pandemia mundial provocado pelo coronavírus, muitos jornalistas migraram de editoria e estão sobrecarregados com objetivo de passar o máximo de informações para a população sobre tudo que envolve o Covid-19. É exatamente para auxiliar esses profissionais, que nós assessores, temos que ter o senso crítico do que é notícia e encaminhar somente assuntos que corroboram com o momento que estamos passando.

Em um cenário como esse em que só se falam sobre a pandemia, nada adianta você querer emplacar uma notícia sobre crescimento da empresa, parcerias, conquista de novas contas, entre outros assuntos, se a mídia está toda voltada para cobrir o colapso do vírus no país.

A nós, profissionais do outro lado do balcão, nos resta conversarmos com nossos clientes, entender as ações que eles estão promovendo, reunir todas as informações e propor para os jornalistas ganchos atrativos que podem render matérias. Saber quais profissionais estão aptos para falar e que tipo de conteúdo tem para agregar também é importante.

Para você ter uma ideia de iniciativa visando o bem durante esse período, o CEO e diretor da PiaR Comunicação (agência onde trabalho), Bruno Pinheiro, resolveu criar uma lista com diversas startups que estavam oferecendo de forma gratuita serviços, de diversas áreas, para a população. Resultado disso, capilarizarão de informações que impactam positivamente as pessoas que precisam, networking, endosso e reputação para as marcas, e auxílio aos jornalistas que precisam de fonte para matérias.

Por fim, sabemos que o período incerto assusta muitas pessoas, inclusive a nós jornalistas/assessores. Mas não devemos ultrapassar certas barreiras e nos tornarmos inconveniente nesse momento de sofrimento para muitos. Empurrar notícias que não tem ligação com o factual, não vai fazer de você um bom profissional. Tenha ciência da gravidade do que está acontecendo, oriente seus clientes e procure ser parceiro dos repórteres. Esse momento é de união e qualquer ajuda é bem-vinda!

*Por Juliana Gusmão

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: