CARA A CARA

Que me perdoem os leitores mais novos, mas vocês se lembram desse jogo?! Chamava-se Cara a Cara. Em linhas bem gerais, era um joguinho em que cada um ficava com um tabuleiro com várias carinhas e tinha que ir adivinhando, por meio de “chutes”, as características do bonequinho do adversário. Era bem divertido…

Lembrei desse jogo da minha infância quando resolvi escrever o tema desse artigo. Você já parou para pensar em quantas pessoas atuam em uma redação de Jornal/Site/Revista? Não vou entrar aqui nem no mérito de programas de TV e Rádios, que podem ir ainda mais além.

Para te ajudar, vou listar alguns dos principais profissionais das redações do Brasil e qual o papel de cada um deles. Confere ai 😉

– Editor Chefe: responsável por todo o conteúdo do veículo de comunicação. Ele é quem coordena todas as etapas dentro da redação, indo desde a apuração, até as políticas editoriais, estilo e publicação final;

– Editor: são os profissionais logo abaixo do editor chefe, que também possuem a função de coordenar as equipes da redação, direcionando reuniões de pauta e quais temas serão abordados em cada edição que irá para circulação;

– Chefe de reportagem: também subordinado ao editor chefe, é que ajuda a orientar os repórteres e coordenada no bom andamento das pautas que foram selecionadas;

– Repórter: são os profissionais da linha de frente de um jornal. São eles que procuram as fontes, realizam pesquisas e entrevistas, escrevem as matérias e enviam para a aprovação de seus chefes de reportagens e editores;

– Revisor: são os profissionais que ajudam a revisar as matérias, para evitar que sejam publicados erros de português, concordância, entre outros aspectos;

– Diagramador: é quem reúne os textos editoriais, publicitários e as imagens e fotos de cada matéria e faz caber no layout do jornal, de forma harmônica;

– Fotógrafos/Chefes de Fotografias:  são os profissionais que focam seus esforços nas imagens. Após conversar com os repórteres e editores, eles elaboram quais serão as melhores imagens para ilustrar determinada matéria;

Essas são apenas algumas das muitas funções que podemos encontrar dentro de uma redação e cada uma delas é de suma importância para o andando de um bom veículo de comunicação. Portanto, devemos respeitar cada um desses profissionais e procurar ajuda-los em nosso papel: de assessores de imprensa!

*Por Renniê Paro

CADA UM NO SEU QUADRADO!

Sim, é preciso colocar ordem na casa!

Digo isso porque vejo acontecer muitas (e muitas e muitas…e muitas) vezes que empreendedores acham que a Assessoria de Imprensa é responsável por tudo que diz respeito à comunicação. E não! Isso não é verdade!

A disciplina da comunicação é vasta e complexa, portanto contempla diferentes verticais e cada uma delas cuida de determinado aspecto da comunicação de uma empresa ou startup. Temos, por exemplo, a galera do Marketing, o pessoal da Propaganda e Publicidade, a turma de Assessoria de Imprensa, o pessoal das Redes Sociais, o grupo de Vídeos e Lives e assim seguimos…

São diferentes pessoas, com diversos perfis e, mais do que isso, com especialidades completamente diferentes (que muitas vezes se complementam), mas que devem ser respeitadas em suas respectivas áreas.

Já cansamos de ver aqui na PiaR, por exemplo, clientes nos pedindo roteiros para gravações de vídeos ou até mesmo posts para as redes sociais. Podemos, claro, dar dicas mais genéricas e alguns “pitacos”. Mas não será nada além disso, pois não é nosso core business.

Existem empresas e profissionais especializados em tais áreas, que poderão contribuir muito melhor que nós. Agora se o assunto por Assessoria de Imprensa, aí sim você estará pedindo ajuda para as pessoas certas.

Entendem o que quero dizer?! Claro que, como profissionais da Comunicação, podemos ajudar em setores que não são especificamente os nossos. Mas nada como o olhar atento e carinhoso de quem já tem anos de experiência no setor e poderá contribuir com cada detalhe de um projeto específico.

Por isso, caro empreendedor, vale a brincadeira: cada um no seu quadrado! 😉

*Por Renniê Paro

COMO TRABALHAR AS DATAS SAZONAIS NA MÍDIA?

O trabalho de assessoria de imprensa requer muito planejamento e estudo sobre os clientes e o seu mercado de atuação e muita pesquisa para saber o que está sendo discutido sobre os assuntos que são do seu interesse. Assim, fica muito mais fácil cavar novas oportunidades para inseri-los na mídia. Além disso, nós sempre criamos pautas sobre os temas que permeiam a área de cada empresa. Dessa maneira, uma das estratégias que nós trabalhamos bastante e que estamos sempre de olho é com relação as datas sazonais.

Elas sempre trazem resultados bem expressivos para as marcas. E, inclusive, quando nós elaboramos os planejamentos trimestrais levamos isso em consideração e já inserimos as sugestões de pautas pensando nessas datas, justamente para nos programarmos e trabalharmos com antecedência.

Um exemplo prático é a Black Friday, que neste ano será realizado no dia 27 de novembro, mas o tema já está sendo discutido pela mídia há bastante tempo. Principalmente, porque o varejo estima um crescimento significativo. Um estudo feito pela Kantar Ibope Media no mês de outubro, aproximadamente 40% dos entrevistados pretendem realizar compras na Black Friday deste ano. Já 15% deles vão adquirir produtos pela primeira vez nesta data.

Por isso, nós começamos a conversar internamente com a equipe e sugerir novas abordagens com muita antecedência, aproximadamente dois meses antes.  Durante esses brainstorm, há muitas trocas de informações e sugestões entre os atendimentos, que são sempre pensadas e estruturadas antes, para que na hora dessa conversa esse alinhamento é sempre muito assertivo. 

Para conseguirmos resultados cada vez mais qualificados para os nossos clientes, costumamos trabalhar de diferentes maneiras. No primeiro momento, elaboramos uma sugestão de fontes com os nomes dos executivos das empresas que atuam nesse setor e os temas que eles podem ser fontes. Isso pode ajudar os jornalistas durante a apuração e desenvolvimento das matérias. Além disso, trabalhamos também com pautas sobre assuntos que estão correlacionados com a data sazonal. Procuramos explorar diferentes vertentes e isso só é possível após muitas pesquisas e estudos que são feitos sobre a data. Nesse caso, também nós optamos em divulgar de forma casada com outros clientes da agência, sempre trazendo as visões dos executivos sobre um determinado tema.

Para exemplificar, nós costumamos trabalhar materiais com dicas de como os varejistas devem se preparar para aumentar as vendas; como a transformação digital tem impactado o novo consumidor; como o uso de CRM pode ajudar o setor a melhorar a jornada de compra e também como os consumidores podem evitar cair em ciladas durante a data e os produtos que são alvos dos fraudadores. Ou seja, trabalhamos pautas voltadas tanto para o consumidor como também para as empresas (B2B). Assim, os materiais costumam ficar bem completos e por isso há uma boa aderência na mídia e os resultados de toda a equipe são sempre surpreendentes, superam ano após ano, e assim, aumentamos a visibilidade dos nossos clientes dentro dos seus mercados de atuação. Trazendo cada vez mais endosso e reputação a eles.

*Por Gabriela Calencautcy

COMO MANTER A RELEVÂNCIA DURANTE O ANO TODO?

Essa é uma pergunta bastante importante no segmento de PR. Afinal, não é sempre que o cliente terá assuntos relevantes para serem divulgados todos os meses, não é mesmo? Ao longo de minha trajetória em assessoria de imprensa, pude perceber que muitas startups buscam pelo nosso serviço somente quando tem algum lançamento para fazer, investimento para receber ou próximo de datas que são interessantes e geram grande volume para seu negócio, como Black Friday, por exemplo.

Porém, sempre reforçamos que a consolidação da marca vai muito além desses períodos específicos de divulgação. O trabalho de assessoria é de médio a longo prazo e, por isso, é necessário manter uma constância de publicações nas mídias. E quando falo sobre isso, não estou dizendo somente em ter coisas legais para serem divulgadas, mas sim em encontrarmos novas alternativas para manter sempre a empresa em evidência.

Na PiaR, por exemplo, temos muitas startups que agora no final do ano surfam na onda da Black Friday. Ou seja, de meados de setembro até comecinho de dezembro, é o momento ideal para fazer com a empresa apareça como fonte de mercado em todas as matérias possíveis, independente do tipo de mídia. Mas e nos meses anteriores, que tipo de materiais foram trabalhados? Sugestões de pautas sobre o mercado em que atuam, levantamentos específicos, artigos de opinião para reforçar o porta-voz como especialista de mercado, sugerimos participação em eventos, tentamos agendar entrevistas e bate-papo com jornalistas, com objetivo de melhorar o relacionamento, entre outros, são algumas ferramentas que acostumamos utilizar para suprir esses gaps.

O que quero mostrar com esse texto é que o universo de PR é muito abrangente e muitas vezes os próprios empreendedores colocam barreiras por achar que somente aquele período específico será importante ter uma divulgação para sua marca, e isso nos impossibilita de ousar e tentar novos caminhos. Um conselho que deixo para todos os leitores – se você quer ter sucesso com um trabalho de assessoria de imprensa ao longo do ano, é necessário se entregar, trocar novas ideias, enxergar oportunidade além do comum e entender que aquele ditado “quem não é visto não é lembrado”, nunca fez tanto sentido. Pensem nisso!

*Por Juliana Gusmão

VOCÊ SABE QUAIS INFORMAÇÕES UM ESTUDO DEVE TER?

Você, certamente, já ouviu falar que a imprensa gosta muito de números e por isso, estudos desenvolvidos por empresas ou associações chamam a atenção dos jornalistas, né?  Por isso, aqui na PiaR nós sempre incentivamos o desenvolvimento desses materiais para trabalharmos nas grandes mídias e aquelas segmentadas.

Em contrapartida, sabemos que a sua produção demanda tempo e muita dedicação do seu time para compilar todas as informações e analisar minuciosamente cada índice e com isso, trazer insights interessantes. Pensando em como podemos dar uma mãozinha e te ajudar a direcionar os esforços para o que acreditamos gerar resultados, separamos algumas dicas do que a mídia considera interessante em um estudo.

Pois bem, primeiramente é fundamental que a companhia tenha amostragem bem significativa. Isso quer dizer que, dependendo do mercado em que está inserido, nada adianta conversar com apenas 100 pessoas ou 2 mil empresas. O interessante é reunir números expressivos para conseguir desenvolver um estudo mais robusto. Isso dará ainda mais credibilidade para o material.  

Depois disso, é importante analisar de forma minuciosa cada informação e aplicar diferentes filtros. Mas isso depende do tema que será abordado. Por exemplo, a Konduto, empresa antifraude para pagamentos online, realiza anualmente o Raio-x das fraudes no e-commerce brasileiro onde ela apresenta o índice de tentativas de fraude, os dias e horários que os criminosos costumam agir, navegadores mais usados, dispositivos e os sistemas operacionais utilizados nos golpes. Em 2020 eles analisaram mais de 175 milhões de pedidos que passaram pelos sistemas da empresa. Todos esses insights enriquecem o estudo e atrai a atenção dos jornalistas dos principais veículos e os especializados.

Outro exemplo a ser destacado é a Sólides, plataforma completa de RH com People Analytics e gestão comportamental que realizou o censo RH, com o objetivo de entender quais os principais desafios e estratégias do RH e evolução digital das empresas para esse setor. O material foi feito com mais de 3 mil companhias de empresas de média e grande porte e trouxe vários insights interessantes sobre o panorama dos profissionais dessa área e do departamento pessoal, média de abertura de vagas, pesquisa admissional e demissional, plano de cargos e salários das empresas, avaliação de desempenho dos colaboradores, entre outros.

Diante desses dois exemplos, você pode perceber a importância de elaborar levantamentos consistentes, que estejam diretamente relacionados com o seu mercado de atuação e tratam de temas da atualidade. Outro ponto fundamental é o timming de divulgação. Se o material for relacionado a uma determinada data sazonal, ele deve ser trabalhado nos dias subsequentes (logo após a data). Caso os números sejam referentes ao ano de 2019, o mesmo precisa ser divulgado no mês de janeiro, por exemplo. Além disso, é imprescindível que seja feito uma conclusão sobre todas as análises, pois isso facilita o entendimento e a leitura dos jornalistas. Sabemos que a elaboração desses conteúdos demanda tempo e trabalho, mas o resultado vale a pena. Fica a dica!

*Por Gabrila Calencautcy