tempo-de-relacionamento

QUAL É O TEMPO IDEAL DE RELAÇÃO?

Atuando há mais de 15 anos com Assessoria de Imprensa de startups dos mais diversos setores, tamanhos e focos, já vi, muitas vezes, relações em Atendimento e Cliente ficarem desgastadas.

Isso acontece após cerca de dois ou três anos do mesmo atendimento e conta e, em minha opinião, ocorre por alguns pontos:

  • Ideias mais do mesmo: depois de certo tempo, o atendimento acaba (sem querer) sugerindo ideias que são ‘mais do mesmo’. Ou seja, não gera novas pautas, não consegue enxergar novos ângulos e formatos de comunicação e gera a impressão de uma empresa sem novidades para contar para a mídia;
  • Confortável demais: depois de certo tempo, o atendimento se aproxima da interface do cliente que, quando é um profissional bacana, acaba gerando uma sensação de estar confortável demais e, por isso, se dá o “direito” de diminuir a performance em alguns pontos. Isso não pode acontecer! Lembre-se: apenas no desconforto, evoluímos;
  • “Amizade”: ser “brother” da interface do cliente não é proibido. Mas é preciso entender que amizade não pode ser confundida com “aceitar pouco”. Portanto, é sim importante ser próximo do cliente, mas entenda que a relação não mudou. Ele ainda é o cliente e, portanto, deve ser atendido com máxima excelência;

Por isso, acredito que pós certo tempo é sim saudável a “oxigenação de contas”. Como em tudo na vida, quando passamos tempo demais fazendo a mesma atividade, falando com as mesmas pessoas e sobre os mesmos temas, tendemos a nos tornar menos criativos.

Portanto, não se assuste quando seu atendimento de conta mudar. Pode ser justamente esse movimento que era necessário para sair em novos canais, gerar novos insights e, claro, melhorar a performance como um todo.

Não tenha medo de mudanças!

*Por Renniê Paro

Publicado por

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.