PENSE GRANDE! SAIA DO CONVENCIONAL DA COMUNICAÇÃO

Os últimos meses têm sido de porrada atrás de porrada para mim. Não exatamente de broncas dos meus queridos clientes, mas puxões de orelhas bem válidos e transparentes (como devem ser) que me fizeram refletir sobre como temos entregado os resultados de PR.

A gente finaliza o mês com um relatório de clippings bem gordinho, cheio de resultados muito bons e qualificados para o cliente, comemoramos internamente e a resposta chega como um balde de água fria: “esse mês foi legal”. Eu sei que pode soar desanimador, mas na verdade isso me mostra que isso é o ‘mais do mesmo’, o ‘feijão com arroz’, o ‘isso qualquer um faz’.

Parando para pensar, acho que o que falta é agirmos como Especialistas em Comunicação, e não apenas como Assessores (não desmerecendo, jamais). Fazer a ponte com jornalistas para enviar artigos, releases e convidar para encontros é o mínimo que temos que fazer. Mas, e o máximo?

Ainda não tenho certeza, mas um caminho pode ser pensar em ações que vão além da imprensa ou que chegam aos jornalistas de formas diferentes. Como? Simples: seu cliente é uma startup de comida congelada saudável? Porque não enviar um kit para a redação experimentar? Seu cliente é um app de beleza? Promova um dia de bem-estar em uma editora.

Enfim, acho que temos que sair do automático, pensar LITERALMENTE fora da caixa e ir além do básico! Somos especialistas em comunicação e temos que provar nosso valor (que temos, e muito). O que vocês têm feito ou visto de diferente por aí?

*Por Renniê Paro

ASSESSORIA É O SERVIÇO CERTO PARA VOCÊ?

Marketing, Comunicação integrada, Inbound, Social Media, Relações Públicas… são tantas as áreas da comunicação que podem ser aplicadas ao seu negócio que é normal ter a dúvida: será que Assessoria de Imprensa é o serviço certo para mim?

Acredito que aqui o ponto chave seja: é o MOMENTO certo de investir em assessoria de imprensa? Porque PR é para todas as empresas, modelos e tamanhos de negócios. O X de verdade é acertar o QUANDO começar a investir em assessoria.

Digo isso porque há sim a hora certa para começar (já vou falar melhor sobre isso), mas quando se abrem as portas da imprensa, não há como parar. Ou melhor, até há, se você cancelar o contrato com sua agência e nunca mais contratar outra. Mas não é um movimento estratégico.

Para saber o momento ideal, pense friamente sobre seu negócio: Eu sei quem eu sou (de fato)? Que público eu atendo? Que problema da sociedade eu resolvo? Para onde ainda posso evoluir enquanto startup? Com quem quero me comunicar? Meu negócio é abrangente ou de nicho? Essas e outras respostas te dirão se é o momento certo de botar a boca no trombone ou se ainda é melhor arrumar a casa para depois falar com a imprensa.

Já aconteceu de eu ver empresas que até tinham uma boa ideia, mas a estrutura era tão desorganizada internamente que não havia uma identidade ou propósito da marca.  Isso gera mais ruídos do que soluções de comunicação: o jornalista não entende, seu assessor não sabe para onde direcionar esforços e você fica frustrado.

Portanto, acredito que “às vezes precisamos dar um passinho para trás para poder dar dois para frente”. De nada adianta sair gritando aos quatro ventos que você é o pioneiro no seu segmento, se não sabe nem definir, em poucas palavras, que segmento é este, entende?

Se ainda tiver dúvida, me chama! A gente bate um papo e tentamos juntos entender o momento de sua startup.

*Por Renniê Paro

Por que é importante ouvir sua agência de comunicação?

Quem melhor que você para falar sobre a sua empresa e as soluções que desenvolveu em seu negócio?  Ninguém, não é mesmo? E também é normal que você confie na palavra de um especialista e siga as recomendações dele para aprimorar a startup. Por que então seria diferente com a sua agência de PR? Sua assessoria de imprensa é a especialista em comunicação e é muito importante que ouça, confie e siga os passos que eles instruírem.

Citei abaixo alguns motivos pelos quais você deve sempre ouvir sua agência:

  • Estratégia: com certeza sua assessoria traçou um planejamento antes de começar efetivamente o contato com a imprensa. Quando sugerimos alguma pauta ou ação, é porque estudamos sua empresa e mercado e identificamos exatamente como a imprensa pode aproveitar a notícia.
  • Jornalistas: seu assessor já tem relacionamento com os jornalistas e já conhece exatamente como agir em determinadas situações. Não atropele o contato entre eles, isso pode atrapalhar o trabalho do seu atendimento daqui para frente.
  • Prazos: Nós já conhecemos a mecânica das redações, já sabemos quando e como abordar os jornalistas. Datas de fechamento e de circulação, por isso é sempre bom que a comunicação seja centralizada em nós.

Entenda: não quer dizer que você tenha que concordar com tudo o que sua assessoria de imprensa propõe – não tem. Questionamentos são válidos e sugestões são sempre bem-vindas, mas sempre lembrando que, nesse caso, o especialista no assunto é o assessor. Dê ouvidos a ele e com certeza seu negócio terá sucesso com a imprensa.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é responsável por Planejamentos Estratégicos e Conteúdo na PiaR Comunição.

5 SINAIS DE UMA ASSESSORIA DE IMPRENSA EFICIENTE

Como-Ganhar-Dinheiro-Escrevendo-Artigos

Em meus mais de 10 anos como assessor de imprensa e passando por N diferentes situações, cheguei a conclusão de que existe apenas uma grande verdade nesse setor. É um lema de levo comigo e que procuro transmitir para minha equipe e clientes: ATENDER É ENTENDER!

Parece clichê e simples demais, mas faz todo sentido. Canso de ver por aí profissionais de comunicação “deitando” regras sobre como ser uma assessoria de imprensa fenomenal, como o cliente deve se portar, como um atendimento deve falar, e etc. Acredito que a minha frase resume bem todas essas “fórmulas mágicas”. Se a agência de PR não entender a fundo seu cliente e suas necessidades, não o atenderá bem. E o inverso também se aplica, se o cliente não entender bem a mecânica de uma assessoria, não conseguirá ser bem atendido.

Por isso, pensei em listar cinco dicas para que startups possam identificar se o trabalho de uma AI tem sido eficiente:

Ela está sempre te “incomodando” para encontrar notícias:  Se a sua assessoria não está ‘pegando no seu pé’ full time para conseguir temas, pautas e materiais que possam render publicações, tem alguma coisa errada. O primeiro e mais forte sinal de que a agência contratada é eficiente, é exatamente a proatividade e interesse em fazer com que sua empresa esteja constantemente na mídia.

Ela te prepara para toda e qualquer situação com a imprensa: A imprensa é espontânea e imprevisível e é comum que você não esteja preparado ou não saiba lidar com a situação de imediato – e é ai que entramos na história. Uma boa assessoria te prepara e está ao seu lado em qualquer momento que você precise dela.

Ela entende com que público você precisa falar: ‘Atirar’ para todos os lados, definitivamente, não é uma boa estratégia. Uma agência eficiente vai estudar com muito cuidado o que nós chamamos de ‘cliente do cliente’ – a maneira certa de chegar em quem realmente pode gerar negócios para sua empresa.

Ela sabe a diferença entre image building e lead generation: Sim, são duas coisas bem diferentes que precisam ser trabalhadas.. Para construção de imagem, a assessoria precisa criar um planejamento estratégico, aproximando sua empresa dos principais veículos e jornalistas, para que você seja conhecido e reconhecido como especialista em sua área. Para a geração de lead, por sua vez, é preciso que a agência estude de forma detalhadao seu público alvo, para que consiga chegar até ele assertivamente, gerando novos negócios para você.

Ela tem uma sólida rede de contatos na imprensa:  Sua assessoria precisa ter muito mais que um mailing – precisa ter relacionamento com os jornalistas. Uma agência que não tem uma rede de contatos sólida terá o dobro de trabalho para alcançar seus objetivos – assim como para construir a imagem de sua empresa é necessário que os jornalistas conheçam e confiem no seu trabalho, com a assessoria não é diferente.

*Por Renniê Paro