LIDERANÇA 4.0

Sabemos que gerir pessoas não é uma tarefa fácil! São diferentes gerações, personalidades, objetivos de vida… enfim, uma infinidade de atributos que fazem com que cada um dentro de uma equipe seja único, exigindo do seu gestor um olhar crítico com o objetivo de entender o que, de fato, o engaja. Porém, uma coisa é certa, com as mudanças de mindset motivadas pela modernização da sociedade como um todo, os métodos de liderança também mudaram.

Hoje, existe o que chamamos de liderança 4.0. Chique, não? Esse conceito mostra como um líder deve atuar para se adequar a esse novo momento. O gestor 4.0 é aquele que inspira. Ousado e criativo, se preocupa em ser muito mais do que aquele que dá ordens, indo além, e trazendo consigo a missão de desenvolver pessoal e profissionalmente sua equipe, trazendo feedbacks construtivos e focados extrair o melhor de cada um de seus colaboradores.

Esqueça aquele chefe impositivo, metódico, engessado. Esse novo profissional veio para derrubar barreiras hierárquicas, buscando sempre conduzir as pessoas por meio da motivação, inspiração e respeito, caminhando lado a lado com sua equipe, botando a mão na massa diariamente. Dirigir pela empatia e não por ego, de forma diferente e humanizada, esse é o objetivo dessa nova forma de gerir.

Claro que essa mudança não está ocorrendo do dia para noite. Porém, sem dúvidas, é uma tendência que veio para ficar. Afinal, as organizações mais avançadas têm percebido (finalmente!) a importância do capital humano para o sucesso do negócio, uma vez que são pessoas que entregam resultados e é impossível para a maioria delas trabalhar feliz, com um chefe ranzinza no seu ouvido esbravejando ordens o dia todo, certo?

Atualmente, existem empresas focadas em auxiliar com a gestão comportamental, facilitando a prática da liderança 4.0. É o caso da Solides, HR Tech especialista em Gestão Comportamental e People Analytics. Eles oferecem ao mercado o software Profiler, que consiste em um teste de perfil comportamental que, por meio de um questionário que pode ser respondido em apenas sete minutos e gera mais de 50 insights sobre um colaborador. Tais dados mostram indicadores sobre estima, como ele lida com pressão, influências, empatia, detalhismo, capacidade de sonhar e muitos outros direcionamentos.

Portanto, compreender como somar habilidades e competências é essencial para tirar máximo proveito das equipes, propiciando o alcance dos melhores resultados. Devemos estar preparados para esse novo momento, focando essencialmente em potencializar pessoas, não somente profissionalmente. Por isso, as empresas também devem se preocupar na preparação e escolha dos seus gestores, focando neste novo modelo.

*Por Bruna Sant’Anna Froner

COMO CONHECER SUA EQUIPE E ADEQUAR O PERFIL DE CADA COLABORADOR?

De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado no período entre novembro de 2017 e janeiro de 2018, 85% das pessoas que se encontravam na situação de desemprego no país foram desligadas das empresas por questões de ordem comportamental.

Esse índice reflete bastante a insatisfação dos indivíduos ao trabalhar em ambientes corporativos ou em cargos que não têm nada a ver com seu perfil profissional ou habilidades. Mas como evitar essas frustações? O que as empresas podem fazer para melhorar o índice de turnover? São muitas as dúvidas que englobam esse universo.

Com o advento da tecnologia, hoje é possível aplicar a inteligência artificial na hora de fazer o recrutamento e seleção de seus funcionários. Empresas como a Solides, por exemplo, que traz inovação para o setor de RH com o único objetivo de mudar e melhorar o cenário de gestão de pessoas, ajudam a levar mais resultados estratégicos para os gestores. Com decisões mais assertivas acerca de seus colaboradores, consequentemente, há um aumento na produtividade e redução de custos.

Eu, como gestora de equipe, tenho um perfil que muitas vezes é diferente dos colaboradores que aqui trabalham comigo. A ferramenta da Solides me ajuda a ter uma visão mais estratégica e assertiva, onde posso trabalhar de diversas formas e entender o perfil de cada um, até onde posso chegar, como devo falar, as características de cada um e quais habilidades são mais desenvolvidas. Tudo isso em um cenário macro, reflete na produtividade, no clima e mantém um ambiente de trabalho mais leve e com ótimos resultados.

Uma pesquisa feita pela Love Mondays, plataforma que avalia as empresas no país, aponta que 70% dos profissionais desejavam mudar de empregado, sendo que praticamente 30% apontavam como principal motivo a questão de encontrar algo que tivesse mais alinhado com seu momento de vida. A questão do salário, que muitas vezes é um dos pontos de insatisfação dos colaboradores, apareceu na terceira colocação – com 25%, atrás da dificuldade de crescer na empresa – com 29%.

Por fim, acredito que o uso da tecnologia na gestão de pessoas tem sido muito positivo, agregando valor e auxiliando os gestores nas tomadas de decisões. Dessa forma, conseguimos aumentar o tempo do colaborador na empresa e, de fato, proporcionar melhorias que agregam, de alguma forma, algo positivo no dia a dia deles. Afinal, precisamos entender que um ambiente de trabalho qualificado vai muito além dos benefícios que são oferecidos, é preciso cuidar bem de seus funcionários e proporcionar o que tiver ao seu alcance para que eles se sintam bem – são eles que fazem as atividades darem certo. Pense nisso!

*Por Juliana Gusmão

SUA EQUIPE PRECISA ACOMPANHAR O RITMO DE CRESCIMENTO DA EMPRESA

Uma vez que seu negócio se torna bem-sucedido no mercado, é preciso olhar para dentro da sua empresa e analisar se seus colaboradores estão no mesmo ritmo de crescimento. Por que digo isso? É muito comum você ver muitas startups escalando seus negócios e, na mesma proporção, funcionários desmotivados, sem a mínima perspectiva de carreira ou vontade e batalhar por um espaço maior.

Esse fato pode ser crucial, uma vez que uma empresa só vai para frente se todos estiverem no mesmo barco e afim de rodar todos os “pratinhos” de uma só vez. Do que adianta visar um crescimento se em sua área de marketing ou vendas, por exemplo, o principal colaborador está desanimado e não consegue contribuir com seu trabalho ou propor novas ideias?

Em alguns casos, muitos empreendedores ficam tão animados com a possibilidade de crescimento do seu negócio que esquecem da sua equipe. Por isso, é muito importante ter um líder focado para essa área, que possa criar ações que ajudam a motivar seus colaboradores e até mesmo, estabelecer um esquema de bonificação para aqueles que ajudam de alguma forma na expansão.

O que não pode acontecer em hipótese alguma é o dono do negócio incentivar os funcionários visando somente aumentar sua atuação. Quando ele atinge o objetivo e o colaborador é esquecido, afinal o empreendedor já conseguiu o que queria, não é mesmo? Pode parecer duro isso que estou falando, mas é mais comum do que a gente imagina, infelizmente.

Por fim, basta olhar para o mercado e ver alguns cases de sucesso, onde os colaboradores são considerados essenciais para o negócio dar certo e são incentivados e bonificados por isso. Uma empresa só é completa e consegue crescer se todos estiverem dispostos. Por isso, certifique-se sempre como está a produtividade de cada um e proponha diferentes ações de incentivo. Pense nisso!

*Por Juliana Gusmão

TIME ALINHADO, ENGAJADO E COM OBJETIVOS BEM DEFINIDOS = SUCESSO

Time alinhado, engajado e com objetivos bem definidos = sucesso.

Sim, essa é a “receita do sucesso”, se é que posso assim dizer, para que uma equipe de PR possa gerar bons resultados.

Definir quais são os objetivos de uma startup com ações de assessoria de imprensa é o primeiro passo para que todas as estratégias sejam desenvolvidas de maneira estratégica. De nada adianta sua equipe de comunicação estar focada em falar de como ganhar dinheiro online, se seu time comercial está focado em soluções para o setor de educação, por exemplo.

Por isso, reuniões, calls, sinais de fumaça…são fundamentais para que todos estejam na mesma página e possam, juntos, impactar positivamente sua empresa, seja em termos de vendas ou branding.  Outro ponto importante nesse sentido é que não é inteligente mudar seus objetivos ou posicionamentos há cada 15 dias. Isso, além de ser desgastante para todos os envolvidos, é também um péssimo indício para a imprensa. Afinal, quem não sabe o que quer/ou é, não chega a lugar algum.

Trabalhando há quatro anos com startups, sei que tudo muda muito rápido e nós, como agência especializada, conseguimos nos adaptar bem a esse ritmo. Mas é importante “dar um tempo” para sentir os resultados e retornos de mídia. Que tal um plano por trimestre e depois uma avaliação do que deu, ou não, certo?

Somente assim será possível criar uma unidade de comunicação, com um time engajado, alinhado e focado em objetivos claros e alcançáveis.

*Por Renniê Paro

A IMPORTÂNCIA DO ENDOMARKETING NO DIA A DIA DA EQUIPE

*Por Juliana Gusmão

Com certeza você já ouviu falar sobre endomarketing e sua importância para as empresas. Acredito que ter uma estratégia bem-sucedida envolve saber escutar e entender as necessidades de sua equipe, bem como proporcionar benefícios que tragam um bem-estar para todos.

A motivação dos funcionários é um dos pontos que considero essenciais para ter uma equipe engajada e colaborativa. Tudo isso faz com que os colaboradores tragam mais ideias, melhorias e se sintam à vontade no ambiente de trabalho. Como costumamos dizer, passamos mais tempo na empresa do que na nossa própria casa, por isso acredito que o local de trabalho tenha que proporcionar o máximo de conforto.

Porque não realizar workshops internos em prol do crescimento profissional e também pessoal? Organizar confraternizações que ajudam no engajamento da equipe e melhorar a relação entre eles? Acredito que estar próxima de seus colaboradores é essencial para encontrar as falhas que os desmotivam e, consequentemente, procurar caminhos para proporcionar o melhor ambiente de trabalho para todos.

Tenho certeza que ações positivas que buscam o bem-estar, dar espaço para que os colaboradores tenham voz e exponham suas ideias são ações essenciais para o crescimento, não só profissional, mas pessoal também. Ter que gerenciar uma equipe e ao mesmo tempo pensar em inúmeras possibilidades para manter a saúde mental de todos é uma tarefa bastante difícil, mas muito gratificante quanto o objetivo é atingido.

Colaboradores satisfeitos e que se sintam parte da equipe contribuem para a diminuição da rotatividade no trabalho. Tudo isso cria laços de afinidade e confiabilidade, tornando os funcionários cada vez mais fiéis da sua marca.

E aí, que tipo de ações sua empresa faz para engajar a equipe?

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com sete anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Head de Relacionamento na PiaR Comunicação.