O QUE É MEDIA TRAINING E O QUE VOCÊ PODE APRENDER COM ELE?

Antes de abordarmos o que é possível aprender em um Media Training, vamos defini-lo. O Media training é um treinamento sobre como se portar e o que abordar, ou não, quando em contato com a imprensa, independente de seu modelo (TV, rádio, jornais, sites, revistas, etc).

O Media Training tradicional era realizado com a contratação de um jornalista de grande veículo, se tirava o porta-voz da empresa, gravasse toda a conversa e depois mostrava para o entrevistado, corrigindo e regravando o material até ele acertar o melhor caminho. O que acontece, nesses casos, é que é um processo caro e que toma praticamente um dia todo (tempo e custos que poucas startups têm).

Por isso, hoje atuamos com um ‘mini’ Media Training. Vamos até as startups, reunimos os porta-vozes e começamos uma apresentação simples e direta. Nela abordamos: o que é assessoria de imprensa e seu papel junto ao jornalista; porque é importante atender a imprensa, independente de seu porte ou região de atuação; OFFs; contatos têm hora; respeito ao trabalho do jornalista; entender o que é notícia; não se oportunista de mídia; como colocar-se no lugar do jornalista para entender seus problemas e ajuda-lo; além de dicas básicas de boa educação, ética e cordialidade.

Nesse processo é imprescindível que você, empreendedor, participe e tire todas as suas dúvidas. Não tenha receio algum de perguntar e tentar aplicar os pontos demonstrados em exemplos práticos que possam acontecer em situações reais diante de um jornalista.

Ficou interessado e quer entender melhor como é um Media Training? É só nos chamar para um papo 😉

*Por Renniê Paro

ENTÃO…PR NÃO FAZ SEO

seo

Vivemos a era da conectividade, e engajamento virou a palavra da moda. Empresas, independente de seu tamanho, localização ou posicionamento, procuram por formas de angariar cada vez mais seguidores e, claro, novos leads. Nesse cenário, a comunicação passa a ter papel fundamental.

Temos visto que muitos empresários buscam por soluções e/ou ferramentas que possam melhorar seu posicionamento no ranking de mecanismos de busca (no Google, no caso). Esse modelo de negócios é chamado SEO, ou Search Engine Optimization, que nada mais é que a otimização desses mecanismos para ficar em destaque quando um potencial lead estiver buscando por soluções/produtos/serviços de seu segmento.

Porém, é preciso destacar aqui que o papel de uma agência de PR vai “até a página 5”. Nós mergulhamos no universo de nossos clientes, entendemos seus diferenciais e necessidades e transformamos tudo isso em materiais jornalísticos. Passamos todas as informações para os profissionais de mídia que tenham fit com seu negócio e fazemos toda a ponte para ajudar ambos os lados.

Nesse contexto, existe um ponto extremamente importante que não deve ser desrespeitado jamais: a linha editorial. A partir do momento que o jornalista recebe as informações, ele tem o direito de escrever o texto de sua total autoria e, claro, seguindo as regras de seu veículo.

Por que estou dizendo isso? Porque gostaria de esclarecer que nem a agência de PR e nem o jornalista têm o poder de publicar ou hiperlinkar uma palavra para o site de sua empresa. Entendemos, claro, a importância desse item (justamente baseados no SEO que comentamos anteriormente), mas é preciso deixar claro que em muitos casos isso não é permitido, por regras editoriais de cada veículo.

É preciso entender que uma boa agência de PR atua em duas pontas: branding (70%) e geração de leads (30%). Ou seja, nosso maior trabalho é fazer com que você e sua marca sejam referência em seu segmento, fortalecendo a credibilidade por meio de matérias que consigam transmitir o seu recado.

“Na matéria vai sair um link para o meu site?”. Impossível responder essa pergunta com 100% de certeza, mas vale lembrar que é preciso sempre respeitar a linha editorial de cada veículo e continuar firme no propósito de fortalecer sua marca no mercado.

*Por Renniê Paro