A IMPORTÂNCIA DA IDENTIDADE VISUAL EM SOCIAL MEDIA

O ser humano é visual. Não adianta negar. Se batemos o olho e achamos que certa coisa não tem boa aparência, já julgamos que é algo duvidoso ou não tão bom assim. Talvez isso seja um grande erro, talvez não. Mas sua comunicação visual será o primeiro impacto direto para seus fãs, então a verdade é que precisamos caprichar sim em nossa identidade visual, até para que quem não conhece a marca, entenda sem muitas palavras a mensagem que queremos passar.

Mas em que consiste uma comunicação visual boa?  Pense no seguinte: toda empresa quer que seu produto/serviço esteja em destaque, seja de maneira online ou offline, certo? Então o primeiro pensamento tem que ser: como posso destacar minha marca entre outras tantas? Em seguida, você precisa deixar claro qual conceito quer passar ao mercado (lembre-se, uma imagem vale mais que mil palavras). Com isso, você começa a desenvolver uma comunicação visual consistente. Cores e elementos vem depois de ter concretizado os dois primeiros passos. Pode parecer simples, mas não é. Seu negócio será lembrado e representado por esses elementos e um erro pode colocar tudo a perder. Seu público será fidelizado por aquilo que vê, não se esqueça.

Outro ponto importante nesse assunto é que as redes sociais têm como uma de suas missões, aproximar os fãs de sua empresa. Se o seu público-alvo não se identifica com sua identidade visual, como você irá atrai-los? Imagens prontas de bancos ou fora do padrão de realidade de seus seguidores, quebram qualquer laço que esteja sendo cultivado.

E para finalizar, essa é uma parte MUITO importante para as redes sociais. Não dá para ser feito de qualquer maneira, por qualquer pessoa e em qualquer programa. Sim, comunicação visual é coisa séria e precisa de um profissional competente que entenda do assunto. O investimento é para a sua marca, então vale a pena valorizar o trabalho de quem estudou para isso. Pense sobre o assunto.

*Gabrielle Ramos é jornalista formada desde 2012 na Universidade Nove de Julho, com especialização em Marketing Digital pela E-commerce School e Mídias Sociais pelo Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Com 08 anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Coordenadora de Planejamentos Estratégicos e Mídias Sociais na PiaR Comunicação.

A EMPRESA TEM A IDENTIDADE DE QUEM RESPONDE POR ELA

brand

A reputação é a nova moeda de troca. E isso nunca foi tão verdade em tempos em que o poder está com o consumidor.  O que antes era uma via de mão única, com empresas “empurrando” seus discursos, agora não é mais aceito e as companhias que querem se manter vivas devem apostar no diálogo com seus clientes.

Diante disso, como se destacar no mar de informações que os jornalistas recebem? Como transmitir o DNA de sua marca por meio de sua atuação como profissional? Como se tornar o porta-voz ideal? É claro que para isso não existem fórmulas mágicas, mas seguir algumas orientações pode ajudar a se tornar referência em seu segmento:

– Tenha em mente as key words: Sim, ter definidas e bem claras as key words, ou seja, palavras chaves de sua empresa, é fundamental para uma mensagem clara sobre seu posicionamento. É importante também saber exatamente qual é o foco da entrevista para, dessa forma, direcionar a conversa para onde sua empresa tenha oportunidade de aparecer como um case de sucesso;

– Saiba para quem você está falando: Além de saber qual o veículo para o qual você está falando, é importante saber quem é o leitor desse meio de comunicação. Sua mensagem deve ser direcionada para que esse leitor possa mergulhar no universo de sua empresa e se sentir parte do discurso. Se o público é mais técnico, transmitir uma mensagem rasa não renderá uma boa entrevista, por exemplo;

– Transparência e gentileza fazem a diferença: quando um jornalista fizer uma pergunta, tudo bem contextualizar, mas ficar “enrolando” pode se tornar um problema e dar a percepção de que você não entende tão bem assim do assunto. O ideal é ser claro e objetivo e, caso não saiba ou não tenha a informação que o jornalista pediu, seja sincero e diga que no momento não a tem, mas que poderá levantar e enviar posteriormente;

Essas são orientações simples para se sair bem em entrevistas, seja pessoalmente ou por telefone, e conquistar a confiança e credibilidade dos jornalistas. Com isso as chances de você se tornar referência em determinado tema aumentam e, claro, a imagem positiva de sua empresa também.

*Por Renniê Paro