O QUE É MEDIA TRAINING E O QUE VOCÊ PODE APRENDER COM ELE?

Antes de abordarmos o que é possível aprender em um Media Training, vamos defini-lo. O Media training é um treinamento sobre como se portar e o que abordar, ou não, quando em contato com a imprensa, independente de seu modelo (TV, rádio, jornais, sites, revistas, etc).

O Media Training tradicional era realizado com a contratação de um jornalista de grande veículo, se tirava o porta-voz da empresa, gravasse toda a conversa e depois mostrava para o entrevistado, corrigindo e regravando o material até ele acertar o melhor caminho. O que acontece, nesses casos, é que é um processo caro e que toma praticamente um dia todo (tempo e custos que poucas startups têm).

Por isso, hoje atuamos com um ‘mini’ Media Training. Vamos até as startups, reunimos os porta-vozes e começamos uma apresentação simples e direta. Nela abordamos: o que é assessoria de imprensa e seu papel junto ao jornalista; porque é importante atender a imprensa, independente de seu porte ou região de atuação; OFFs; contatos têm hora; respeito ao trabalho do jornalista; entender o que é notícia; não se oportunista de mídia; como colocar-se no lugar do jornalista para entender seus problemas e ajuda-lo; além de dicas básicas de boa educação, ética e cordialidade.

Nesse processo é imprescindível que você, empreendedor, participe e tire todas as suas dúvidas. Não tenha receio algum de perguntar e tentar aplicar os pontos demonstrados em exemplos práticos que possam acontecer em situações reais diante de um jornalista.

Ficou interessado e quer entender melhor como é um Media Training? É só nos chamar para um papo 😉

*Por Renniê Paro

DINÂMICA DE UM ENCONTRO DE RELACIONAMENTO

*Por Juliana Gusmão

Marcar encontros de relacionamento é uma prática muito comum das assessorias de imprensa. Mas você sabe qual estratégia está por trás dessa dinâmica? Claro que conversamos com os jornalistas todos os dias e apresentamos as novidades da empresa, mas quando agendamos um bate-papo com um profissional específico, nada melhor do que o empreendedor contar sobre sua trajetória e o propósito da sua empresa.

Antes de tudo, é importante alinharmos as expectativas. Se encontrar com um jornalista de um veículo importante não nos dá a garantia de que ele irá publicar uma matéria após o almoço ou o café. O objetivo, antes de tudo, é firmar um relacionamento, como o próprio nome diz, e não sair do encontro com uma matéria fechada. Claro que durante a conversa o profissional pode encontrar um gancho interessante para uma reportagem, mas é bacana deixarmos claro o propósito desses convites.

Geralmente essa dinâmica engloba você falar sobre seu negócio, sua carreira empreendedora, o que te levou a criar sua empresa, mostrar o crescimento do mercado, apresentar cases de sucesso, entre outros pontos. Muitas vezes, dependendo do jornalista, falamos bastante sobre faturamento e perspectivas para os próximos anos. Por isso, esteja sempre preparado.

Outro ponto que consideramos de extrema importância – “não solte informações que não podem ser divulgadas”. Sim, isso já aconteceu algumas vezes e gerou um mal-estar enorme quando o jornalista resolveu publicar uma matéria e mencionou tais informações. Entendemos que muitos empreendedores ficam ansiosos e na expectativa de se saírem bem durante o bate-papo. Porém, tal ansiedade muitas vezes pode ser prejudicial ao negócio.

Por fim, quando seu assessor comentar que conseguiu um encontro de relacionamento com determinado jornalista, procure adequar sua agenda para atendê-lo. Esses profissionais estão cada vez mais requisitados e aproveitar a brecha na sua agenda é essencial para fazer do seu negócio conhecido e se aproximar de quem poderá escrever algo sobre você e seu mercado de atuação.

*Juliana Gusmão é jornalista formada desde 2012 pela Universidade Presbiteriana Mackenzie, com Pós-Graduação em Marketing e Comunicação Publicitária pela Faculdade Cásper Líbero. Com sete anos de experiência em Assessoria de Imprensa, já atuou na comunicação de empresas de diversos segmentos e atualmente é Head de Relacionamento na PiaR Comunicação.

O QUE É NECESSÁRIO PARA UMA BOA SUGESTÃO DE PAUTA?

No último texto, comentei um pouco sobre o que é e como funciona o artigo de opinião. Hoje vou falar sobre outra ferramenta muito utilizada por nós, assessores de imprensa: Sugestão de Pauta.

Antes de entrar no que é necessário para uma boa pauta, temos que esclarecer o conceito. Em linhas gerais, uma Sugestão de Pauta é um pitch feito ao jornalista sobre determinado tema, que pode gerar uma matéria. A sugestão é (quase) sempre realizada por telefone, em um bate papo com o jornalista. Ou seja, ela não passa pela aprovação do cliente.

Nós, profissionais de PR, criamos uma espécie de roteiro sobre uma possível matéria e tentamos convencer o jornalista de que o tema é relevante para sua audiência. Portanto, uma boa pauta deve ter: um problema, quais são as possíveis soluções, quais são os players envolvidos no setor (aqui entra o cliente, como uma fonte) e até mesmo personagens (outros players/pessoas que usam as soluções do mercado e podem dar depoimentos).

E não se engane, uma sugestão de pauta pode dar certo em poucas horas, demorar dias/meses ou simplesmente não dar em nada. A proporção de ‘nãos’ que ouvimos é no mínimo 90% maior do que os ‘sims’ (infelizmente). Mas nosso papel é não desistir.

Portanto, quer ajudar? Nos municie com todos os dados relevantes de seu mercado e como sua startup tem solucionado os possíveis problemas dele. Assim conseguiremos aqueles 5 segundos de atenção dos jornalistas estratégicos e, quem sabe, uma boa matéria o citando como fonte.

*Por Renniê Paro

ARTIGOS NÃO FALAM SOBRE SUA EMPRESA. ENTENDA MELHOR…

Releases, sugestões de pautas, notas, comunicados oficiais, encontros de relacionamento…se você acompanha o Ninho de Jornal, é nosso cliente ou contratou outra agência de PR, aposto que já cansou de ouvir esses termos. Como falamos inúmeras vezes, essas são algumas das ferramentas que utilizamos no dia a dia. Às vezes individualmente, às vezes integradas…enfim, depende de cada estratégia de divulgação.

Porém, tem uma delas que sempre chama atenção e gera uma certa confusão: o artigo de opinião. Esse é um material muito aplicado por nós, aqui na PiaR, e acreditamos ser uma das melhores estratégias quando o foco é transformar um porta-voz em referência em seu segmento de atuação.

A grande confusão quando falamos de artigo é que muitos empreendedores naturalmente querem destacar as ações de suas empresas, quando na verdade, o enfoque de um artigo deve ser o MERCADO de atuação e não sua startup. Por isso, listo aqui alguns pontos que devem ser levados em consideração quando o assunto é um artigo:

– Como o próprio nome diz, é um artigo de OPINIÃO. Portanto, ele precisa ser pessoal e em primeira pessoa. Além disso, você precisa expressar um ponto de vista sobre determinado assunto;

– Dados do mercado abordado sempre ajudam a melhorar o texto. Portanto, faça uso de informações de entidades de classe para mostrar a robustez do nicho que está sendo falado e depois complemente com o que você acredita que seria o mundo ‘ideal’ no setor, por exemplo;

– Como é um artigo, fica muito ‘jabazeiro’ (ou seja, meio forçado) ficar falando do quanto sua startup é legal. O correto é não citar sua empresa e se deter ao problema/solução/tendência do mercado abordado. Sua empresa será citada sempre na assinatura

Enfim, essas são pequenas dicas de como aproveitar melhor um artigo. Por último, quero destacar: nunca subestime o poder desses textos. Sei que em um primeiro momento podem parecer improdutivos e sem resultados efetivos, mas pode ter certeza que com o tempo seu nome terá se tornado destaque entre os especialistas do setor. Pense nisso 😉

*Por Renniê Paro

COMO ESCREVER UM BOM RELEASE?

 Sabemos que o release é uma das ferramentas que utilizamos em assessoria de imprensa para apresentar alguma novidade para o mercado ou posicionar a empresa em seu setor de atuação. Porém, nem sempre esses materiais são desenvolvidos com o cuidado que merecem e por isso, na maioria das vezes são descartados por muitos jornalistas. Mas afinal, você sabe quais informações são relevantes para a elaboração de um bom release?

Aqui na PiaR por exemplo, só elaboramos um release quando temos uma notícia interessante para divulgarmos à imprensa. Assuntos como “lançamos nova funcionalidade do aplicativo”; “atingimos 2 milhões de fãs no Instagram”; “alteramos o layout do site”, entre outros, nada disso é relevante para o leitor. Agora quando falamos sobre “Recebemos uma rodada de investimento”; “fizemos uma fusão com um grande player do mercado”; “Empresa x expande atuação para as regiões y e z”, entre outros, são assuntos que, de forma geral, geram interesse do público.

Um ponto importante de destacar é que o release serve de base para o jornalista escrever uma matéria maior sobre o assunto. Por isso, devemos sempre pensar em utilizar informações que de certa forma irá fazer com que o profissional tenha interesse de escrever uma matéria sobre o assunto. Dados de mercado, cases de sucesso, números de faturamento e crescimento, tudo isso corrobora para conquistarmos um espaço nos grandes veículos.

Por fim, quando tiver que fazer um grande anúncio para a imprensa, procure munir seus assessores com o máximo de informações. Dessa forma, o material de apoio será bem completo, o que poderá contemplar em uma matéria positiva sobre sua empresa ou mercado de atuação.

*Por Juliana Gusmão