PARCERIA ENTRE ASSESSORIAS CONCORRENTES

Quando você ouve a palavra “concorrentes” automaticamente vêm à mente alguém que joga “contra você”. Mas nem sempre isso é verdade.

No mundo das assessorias de imprensa não há tanta competição quanto se pensa (pelo menos não entre as agências “gente boa” rs). Nós aqui na PiaR gostamos e até incentivamos que sejam criadas as chamadas Pautas Casadas, ou seja, quando colocamos duas ou mais startups que tenham serviços, produtos similares ou complementares para que a pauta ganhe força e chame a atenção do jornalista.

Quando temos casos aqui dentro de casa, ótimo. Mas quando não temos, porque não ligar para a assessoria da startup que queremos colocar na pauta e sugerir uma ação conjunta? A receptividade das outras agências é, em 99% dos casos, positiva e surte efeitos positivos para todos.

Gostamos dessa prática primeiro porque acreditamos que há espaço para todos (clientes, assessorias, pautas…) e que juntos somos mais fortes. Não há porque se blindar e parecer intocável ou evitar falar com as outras agências e startups.

O ecossistema é extremamente rico e se todos baixarem a guarda, ele pode ser sempre aprimorado. Por isso, não tenha medo de propor uma pauta casada, ligar para o colega de PR e unir esforço em prol de algo maior que nosso ego jornalístico.

😉

*Por Renniê Paro

TIME ALINHADO, ENGAJADO E COM OBJETIVOS BEM DEFINIDOS = SUCESSO

Time alinhado, engajado e com objetivos bem definidos = sucesso.

Sim, essa é a “receita do sucesso”, se é que posso assim dizer, para que uma equipe de PR possa gerar bons resultados.

Definir quais são os objetivos de uma startup com ações de assessoria de imprensa é o primeiro passo para que todas as estratégias sejam desenvolvidas de maneira estratégica. De nada adianta sua equipe de comunicação estar focada em falar de como ganhar dinheiro online, se seu time comercial está focado em soluções para o setor de educação, por exemplo.

Por isso, reuniões, calls, sinais de fumaça…são fundamentais para que todos estejam na mesma página e possam, juntos, impactar positivamente sua empresa, seja em termos de vendas ou branding.  Outro ponto importante nesse sentido é que não é inteligente mudar seus objetivos ou posicionamentos há cada 15 dias. Isso, além de ser desgastante para todos os envolvidos, é também um péssimo indício para a imprensa. Afinal, quem não sabe o que quer/ou é, não chega a lugar algum.

Trabalhando há quatro anos com startups, sei que tudo muda muito rápido e nós, como agência especializada, conseguimos nos adaptar bem a esse ritmo. Mas é importante “dar um tempo” para sentir os resultados e retornos de mídia. Que tal um plano por trimestre e depois uma avaliação do que deu, ou não, certo?

Somente assim será possível criar uma unidade de comunicação, com um time engajado, alinhado e focado em objetivos claros e alcançáveis.

*Por Renniê Paro

EQUIPE UNIDA É SIGNIFICADO DE SUCESSO

Sei, e já cansei de ver, milhares de amigos comentando que fazem hora extra, trabalham além do esperado, levam serviço para casa ou ficam online 24 por 7 no celular, pois não podem deixar seus clientes sem resposta. Afinal, a competição é grande e desleal por uma vaga, não é mesmo?!

De verdade, não acredito muito nesse modelo. Para ser bem sincera, como costumo ser em meus textos e dia a dia, atitudes como as que citei acima demonstram o contrário. Me parece que a pessoa “procrastinou” o dia todo e o trabalho se acumulou no final do dia (daí as horas extras), ou que ela não tem segurança e autonomia para posicionar seu cliente de tal forma que ele não possa esperar até às 9h no dia seguinte por um retorno.

Por isso, todo o trabalho que desenvolvo na PiaR com minha EquipePi (nosso apelido carinhoso) é todo nesse sentido. Não quero ninguém levando trabalho para casa ou trabalhando até tarde. Já passei por isso e é desgastante e o resultado é apenas o sentimento de frustração (por mais que você faça, nunca é o suficiente).

Claro que temos metas, processos e entregas, mas incentivamos que as pessoas trabalhem juntas e não umas contra as outras. Quer um exemplo? Todos os dias alguém da equipe propõe um pauta casada, ou seja, sugere que em um único material a gente coloque dois, três, quatro ou dez clientes da agência. Com isso, todos saem ganhando: os clientes, com divulgações bacanas; os atendimentos, pois otimizam processos e tempo de apuração; e o jornalista, que recebe uma gama muito mais completa de players de um determinado setor.

Entende agora porque acho fadado ao fracasso os processos antigos de “se você não mostrar que é melhor que o outro, você estará fora”? Vamos unir forças, conhecimentos e personalidades para que todos os lados sejam beneficiados de uma maneira saudável.

Como diz a música “Quando pessoas viram coisas, cabeças viram degraus”.

*Por Renniê Paro

MUITO CUIDADO COM A FORMA COMO COMPARA SUA EQUIPE COM OUTRAS AGÊNCIAS

Olha, não é para me gabar não, mas a PiaR tem hoje uma equipe f…!!
E isso não foi do dia para a noite. Passamos por poucas e boas na construção do time que temos hoje e tivemos que fazer inúmeros ajustes, tanto de seleção, quanto de processos internos que impactassem diretamente a performance da equipe.

O grande ponto aqui é que, como gestores, devemos tomar certos cuidados ao compararmos nossa equipe com as de outras agências de PR. Primeiro porque cada empresa é única, portanto também é sua cultura, gestão e entrega de resultados. Segundo, porque ficar perseguindo o concorrente nunca é um hábito saudável e terceiro que abrir jornais/revistas e falar “Como a agência x consegue isso e a gente não? Acho que nossa equipe é ruim” não é a melhor estratégia de motivação, concorda?!

Este ano tive o prazer de participar do RD Summit e, como abordei no texto sobre o evento, pude aprender muitas formas de engajar e motivar a equipe. Isso porque, sem essas pessoas, a empresa simplesmente não existe. Então, gestores, a era da pressão e resultados por medo acabou definitivamente (e nem adianta bater o pé).

É preciso ter coerência, transparência e principalmente propósito se quer que seu time jogue a favor da agência! Só assim, todos saem ganhando: a empresa, os colaboradores e, claro, o cliente final. Pense nisso 😉

*Por Renniê Paro