Confira os principais erros na Black Friday e as dicas práticas para evitá-los

Na rotina de uma loja, é possível que ocorram contratempos e dificuldades, como falta de produtos no estoque, falhas técnicas no site e até mesmo problemas nos meios de pagamento. Esses empecilhos, embora sejam prejudiciais para os resultados diários, são facilmente solucionados em dias comuns. O preocupante é que, durante as datas sazonais, como a Black Friday, as operações ganham muito mais intensidade, com um grande número de acessos e compras. Então, cada falha, por menor que seja, pode comprometer toda a operação. 

Pensando nisso, é necessário que os lojistas tomem cuidado para não cometer deslizes, perdendo vendas e não aproveitando a oportunidade da data. Para auxiliá-los, preparamos uma lista com os principais erros cometidos e como evitá-los:

Não ter uma equipe de vendas treinada para a alta demanda
Durante a Black Friday, é importante que as marcas ofereçam um atendimento personalizado a fim de solucionar possíveis dúvidas e eventualmente problemas que venham a enfrentar na jornada de compra, mas para isso é importante contar com uma equipe de vendedores preparados. “Nesses momentos, se você não tiver um time preparado e ágil, a experiência do cliente será comprometida. Isso trará grandes prejuízos para a empresa, como a quebra de confiança e diminuição nas vendas. Por isso, apostar em mentorias e bons alinhamentos é essencial nesses casos”, comenta Gustavo Motta, CEO do Sales Clube

Além disso, segundo Fábio Oliveira, CEO da SalesFarm, desde já, vendedores precisam se aprimorar, estudando as melhores formas de atender para alcançarem o sucesso na Black Friday. “O varejo é um setor que está sempre em movimento e por isso, profissionais de vendas precisam estar atentos aos novos formatos, técnicas, e movimentos do mercado e do público para que façam ótimos atendimentos. Realizar  diversos cursos qualificados fará com que os especialistas consigam se destacar no mercado”, diz.                                                

Não conhecer o seu público-alvo
Antes mesmo de entrar no mês de novembro, já é possível ver algumas campanhas publicitárias avisando o consumidor que a data está chegando. Quanto mais próximo do dia, mais somos bombardeados por promoções, descontos e preços imbatíveis. Desta forma, para se destacar diante de tanta informação, a saída é conhecer o seu cliente. “Saber as dores do seu público é essencial para oferecer o que ele precisa. A partir de pesquisas e levantamento de dados, é possível traçar o perfil do consumidor, oferecer as soluções exatas e combinar outras possibilidades de compra, além de aumentar a lista de desejos. Abraçar apenas as estratégias já batidas do marketing, como escassez, por exemplo, pode deixar a marca para trás em uma das maiores oportunidades de consumo do ano”, explica Tomás Duarte, cofundador e CEO da Track.co.

Não simplificar o processo de compra
Atualmente, um dos principais problemas para quem vende online é o abandono de carrinho. Segundo um levantamento da Ve Interactive, 83% dos consumidores brasileiros abandonam as compras no carrinho. Cadastros burocráticos e inúmeras páginas para finalização da compra são alguns dos principais responsáveis pelo abandono. “Além de revisar toda a jornada de compra do cliente e os pontos de contato, é necessário tornar o processo simples, rápido e seguro. Detalhe as informações do produto, como dimensão, quantidades de itens, cores disponíveis, composição dos materiais e, sobretudo, as formas de pagamento para não deixar dúvidas. O consumidor na era digital busca praticidade, por isso diminuir a quantidade de páginas que aparecem antes da finalização da compra é essencial”, afirma Jackson Araújo, COO da Showkase.

Não investir em canais de atendimento de qualidade
Após a pandemia, grande parte dos consumidores modificaram o seu comportamento de compra. Por isso, agora, o investimento na Gestão de Relacionamento com o Cliente, o popular CRM – Customer Relationship Management- se tornou outra parte inegociável para quem busca sair na frente e ter um atendimento ao cliente de qualidade. A ferramenta permite o registro de todas as interações de seu negócio com o consumidor, além de automatizar processos e a identificação do perfil de consumo dos clientes. “Essa última funcionalidade, inclusive, pode ser uma boa aliada para a criação da persona da sua organização e na elaboração de estratégias de comunicação mais assertivas” explica Leandro Campos, CEO da Nvoip.

Falta de processos seguros

O varejo está cada dia mais tecnológico e por isso, negócios que não investirem em ferramentas de segurança, poderão ter perdas financeiras. “Principalmente na Black Friday, em que há um aumento na oferta e procura de serviços e produtos, é necessário que companhias tenham sistemas que bloqueiem a ação de hackers e utilizem uma eficaz tecnologia em nuvem, que traga proteção para que não aconteçam perdas de informações”, informa Armindo Sgorlon, CEO da SGA TI em Nuvem.                                

Disponibilizar poucas formas de pagamento 

Aceitar formas de pagamento diversificadas é uma das estratégias mais importantes para garantir conversões na Black Friday. Afinal, após atrair o consumidor com uma promoção imperdível, é necessário que o e-commerce aceite o método de pagamento de preferência de cada cliente. “É interessante deixarmos claro todas as possibilidades de pagamento dentro de datas como essa. É preciso lembrar que nem sempre o consumidor terá o limite no cartão de crédito ou o dinheiro em mãos para pagar com o PIX, daí a importância de atuar com crediários, boletos ou outros. Assim, as chances de perder a venda no momento da conversão, caem drasticamente”, afirma Maria Cristina Kopacek, Co-fundadora da Idez, fintech especializada em serviços financeiros para PMEs.  

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.