Quero tirar a dupla cidadania para morar no exterior: por onde eu começo?

Pressionados por um cenário de incertezas no âmbito político e econômico, muitos brasileiros que nunca consideraram usufruir do direito à cidadania europeia passaram a pensar no assunto, arrumar as malas e partir – principalmente com a flexibilização dos formatos de trabalho.

Segundo um levantamento feito pela Polícia Federal, em 2021, 17% dos brasileiros que deixaram o país não retornaram, atingindo assim o maior número dentro da sua história, sendo que a pesquisa teve início em 2010, quando 7% dos que haviam saído não voltaram e, em 2019, essa parcela foi de 5%.

Dar entrada em uma dupla cidadania daria direito a um segundo passaporte, facilitaria o acesso à moradia em outros países e, ainda, permitiria uma reconexão com a memória dos seus antepassados. Rafael Gianesini, CEO e cofundador da Cidadania4U, alerta, ainda, que é possível conquistar o tão sonhado documento de forma rápida e transparente. “Nós notamos ainda mais a importância das plataformas digitais. Aqueles que optam por utilizar a tecnologia acabam tendo acesso a um processo ainda mais seguro e confiável, já que o seu andamento poderá ser acompanhado de perto”, explica.

O executivo listou alguns passos importantes para ter acesso à dupla cidadania:

1 – Verifique se você tem alguma ascendência reconhecida: Dependendo de qual for o seu país de destino, se você for um descendente de portugueses e italianos, por exemplo, já existem grandes chances de você conseguir a cidadania. Uma dica legal seria fazer um cadastro no site Family Search e montar a sua árvore genealógica por lá!

2 – Junte alguns documentos importantes: Comece pela sua certidão de nascimento, nela você será capaz de encontrar informações sobre os seus pais, onde eles se casaram, nasceram e assim por diante, até chegar no seu ascendente. Se estiver com dificuldades, você pode contar com a ajuda de especialistas nesta área de pesquisa e até falar com historiadores. Afinal, procurar por documentos nem sempre é algo simples, contar com a ajuda de um historiador sempre agiliza o processo.

3 – Conte com a ajuda de profissionais: Você já deve ter notado que alguns imprevistos podem surgir durante o levantamento de documentos, certo? Contar com o apoio de alguns profissionais pode lhe trazer mais tranquilidade e servir de muito apoio durante o processo. Uma assessoria especializada na área será capaz de te guiar durante o processo com transparência, maestria e agilidade.

4- Tenha paciência: Todo processo de retirada do visto pode ser bem burocrático, porém se ele for feito de forma transparente, contar com todos os documentos necessários e, ainda, for orientado por profissionais que entendem do assunto, não terá erro.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.