COMO CONHECER SUA EQUIPE E ADEQUAR O PERFIL DE CADA COLABORADOR?

De acordo com um levantamento do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), realizado no período entre novembro de 2017 e janeiro de 2018, 85% das pessoas que se encontravam na situação de desemprego no país foram desligadas das empresas por questões de ordem comportamental.

Esse índice reflete bastante a insatisfação dos indivíduos ao trabalhar em ambientes corporativos ou em cargos que não têm nada a ver com seu perfil profissional ou habilidades. Mas como evitar essas frustações? O que as empresas podem fazer para melhorar o índice de turnover? São muitas as dúvidas que englobam esse universo.

Com o advento da tecnologia, hoje é possível aplicar a inteligência artificial na hora de fazer o recrutamento e seleção de seus funcionários. Empresas como a Solides, por exemplo, que traz inovação para o setor de RH com o único objetivo de mudar e melhorar o cenário de gestão de pessoas, ajudam a levar mais resultados estratégicos para os gestores. Com decisões mais assertivas acerca de seus colaboradores, consequentemente, há um aumento na produtividade e redução de custos.

Eu, como gestora de equipe, tenho um perfil que muitas vezes é diferente dos colaboradores que aqui trabalham comigo. A ferramenta da Solides me ajuda a ter uma visão mais estratégica e assertiva, onde posso trabalhar de diversas formas e entender o perfil de cada um, até onde posso chegar, como devo falar, as características de cada um e quais habilidades são mais desenvolvidas. Tudo isso em um cenário macro, reflete na produtividade, no clima e mantém um ambiente de trabalho mais leve e com ótimos resultados.

Uma pesquisa feita pela Love Mondays, plataforma que avalia as empresas no país, aponta que 70% dos profissionais desejavam mudar de empregado, sendo que praticamente 30% apontavam como principal motivo a questão de encontrar algo que tivesse mais alinhado com seu momento de vida. A questão do salário, que muitas vezes é um dos pontos de insatisfação dos colaboradores, apareceu na terceira colocação – com 25%, atrás da dificuldade de crescer na empresa – com 29%.

Por fim, acredito que o uso da tecnologia na gestão de pessoas tem sido muito positivo, agregando valor e auxiliando os gestores nas tomadas de decisões. Dessa forma, conseguimos aumentar o tempo do colaborador na empresa e, de fato, proporcionar melhorias que agregam, de alguma forma, algo positivo no dia a dia deles. Afinal, precisamos entender que um ambiente de trabalho qualificado vai muito além dos benefícios que são oferecidos, é preciso cuidar bem de seus funcionários e proporcionar o que tiver ao seu alcance para que eles se sintam bem – são eles que fazem as atividades darem certo. Pense nisso!

*Por Juliana Gusmão

CENSO DE RH 2018 – VEJA QUAIS FORAM AS MUDANÇAS NO SETOR

A Solides, HRtech especializada em gestão comportamental e people analytics, realizou um estudo com quase três mil participantes, que apontou dados relevantes sobre o mercado de RH. O objetivo era auxiliar os profissionais do setor no desenvolvimento humano e alinhar as melhores estratégias para uma gestão de pessoas qualificada.

Um dos dados que chama atenção é em relação aos desafios que eles enfrentam hoje. 45,5% dos participantes disseram que precisam ter tempo para serem mais estratégicos; 35,9% disseram que a maior dificuldade é fazer com que os diretores enxerguem a importância do RH; 29,4% falaram sobre conseguir implantar ferramentas; 26,3% reportaram sobre engajar e aumentar a produtividade da empresa e, 20,2% mencionaram o desafio de ter disponibilidade de investimento junto aos gestores.

Por meio do estudo, ainda é possível perceber que o uso de dados para tornar o setor mais estratégico e assertivo vem sendo utilizado com mais frequência pelos profissionais da área. 73,7% dos respondentes disseram que estão buscando informações sobre People Analytics e tomada de decisão orientadas por dados palpáveis.

Outro dado relevante na pesquisa está relacionado aos processos de recrutamento e seleção. Em 2017, por exemplo, apenas 20% dos profissionais utilizavam o mapeamento comportamental e hoje eles representam 30,6% dos participantes. 89% dos respondentes disseram que ainda preferem as entrevistas para contratar novos colaboradores, enquanto 71,8% buscam por profissionais em sites de vagas.

Embora acredite que o mercado tem muito que evoluir ainda, esses dados mostram que os gestores estão cada vez mais dispostos a utilizar de ferramentas e soluções que ajudam na tomada de decisão. Tudo isso no futuro implica em decisões mais inteligentes e assertivas, além de ajudar a desenvolver ideias inovadoras para melhorar as ações da empresa. Por isso, vale a pena ficar ligado nas tendências e novidades do seu segmento para sair na frente dos seus concorrentes.

*Por Juliana Gusmão