Construtech Noah atrai investidores que procuram retorno mais rápido, seguro e sustentável

Startup oferece solução tecnológica para construção civil que pode ser mais vantajosa para quem quer investir no setor imobiliário

O mercado imobiliário e a construção civil foram alguns dos setores que se destacaram no ano passado. Independentemente da pandemia, os números foram surpreendentes: houve aumento na venda de imóveis, crescimento do financiamento e crédito imobiliário, novos lançamentos e, sobretudo, muita inovação no setor. A Noah, startup que oferece solução tecnológica para construção civil com estruturas em madeira, chegou para atingir o mercado sustentável e mira em investidores que buscam retorno rápido e sustentável de suas aplicações.

Segundo um levantamento da Associação de Dirigentes de Empresas do Mercado Imobiliário (Ademi), a estimativa é que o segmento imobiliário tenha movimentado cerca de R$ 11 bilhões em vendas no Brasil somente em 2021. Ainda de acordo com o estudo, o Valor Geral de Vendas (VGV), teve uma média de R$ 99 bilhões, com destaque para a cidade de São Paulo, que apresentou um volume de 30% de negócios.

Nicolaos Theodorakis, fundador e CEO da Noah, reforça que realmente 2021 foi um dos melhores anos para o mercado imobiliário no Brasil depois de um período crítico para tantos setores. No entanto, segundo ele, embora haja muitas expectativas de crescimento para a economia nacional com o aumento da geração de negócios, o mercado tem se preocupado ainda mais com a agenda ESG em bastante evidência há um pouco mais de dois anos. “O posicionamento do empresariado se adaptou ao ESG. Desta forma, a busca por soluções sustentáveis estão mais presentes nas conversas de C-levels, agentes com poder de decisão no mercado. Temos visto essa evolução nas decisões de escolha dos espaços de trabalho e de moradia”, explica o executivo.

Fundada em 2019, a Noah utiliza a madeira em suas construções. A tecnologia tem atraído muitos investidores pela velocidade da construção, já que as estruturas são pré-fabricadas. “As placas de CLT podem ser construídas em escala fabril, ou seja, longe do canteiro de obras, permitindo a conhecida técnica off-site. Ela transforma a construção em um processo de montagem que torna o processo mais rápido, muito mais preciso, sem desperdícios e menos intensivo em mão de obra”, aponta Theodorakis.

Além de ser um investimento sustentável, o fato de ser uma construção mais rápida do que o modelo tradicional proporciona a antecipação do retorno do investimento, como demonstra um case da Hines, empresa privada que investe e desenvolve imóveis. De acordo com o estudo, o aluguel de salas em prédios de madeira pode ser até 28% mais alto e o investidor pode alocar 100% das unidades antes mesmo da finalização das obras, algo improvável nos empreendimentos tradicionais. “Percebemos que, mesmo que seja um tipo de investimento mais seguro, ter um retorno mais rápido tem sido um atrativo para esse público. A exemplo do case da Hines que obteve o square foot mais alto da história de Minneapolis, cidade do estado norte-americano. Isto representa um aumento de mais de 50% do preço médio das transações de lajes Classe A ocorridas no mesmo período”, acrescenta o executivo.

De acordo com o executivo, a Noah planeja fechar o ano de 2022 com no mínimo 5 projetos criados e executados em madeira. “Além de ser uma opção mais rápida e sustentável para esse tipo de investidor, construções em madeira são pouquíssimos exploradas no Brasil. Porém é uma tendência mundial e o mercado de construção civil terá de se adaptar o quanto antes”, conclui o CEO.

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.