Cultura data-driven e o papel do líder

Banco de imagens gratuitas - Unsplash

Em um cenário cada dia mais tecnológico, o uso estratégico de dados tem ajudado as empresas a obterem insights para a criação e o desenvolvimento de planejamentos e ações mais assertivas. De acordo com estudo do Capgemini Research Institute, instituto que oferece pesquisas, somente em 2020, 50% das organizações já estavam colocando os dados no centro das tomadas de decisões.

Porém, é importante que as companhias tenham em mente que, para que as informações sejam realmente impulsionadoras dos negócios, é preciso mais do que ferramentas tecnológicas. É necessário criar uma cultura data-driven, em que todos os processos nas diferentes áreas sejam conduzidos pela coleta e análise de dados e que os colaboradores entendam a real importância das informações para as tomadas de decisões no dia a dia. Assim, estes devem estar no centro das operações, guiando a forma de atuação.

É por isso que os líderes têm a missão de construir essa cultura junto com os colaboradores. Gestores devem incentivar o uso dessas informações e uma das principais formas de fazerem isso é por meio de treinamentos. Isso porque profissionais só vão conseguir utilizá-las de maneira inteligente se obterem conhecimento atualizado.

Além disso, os dados precisam ser acessados facilmente pelos especialistas e os gestores devem implementar novos processos que não apenas utilizem as informações, mas que também desmistifiquem a complexidade do uso destas. Colaboradores precisam enxergar como as operações podem ser mais fáceis e assertivas quando se tem este recurso em mãos. 

A criação de políticas de segurança também é essencial, pois garante a proteção tanto das empresas quanto dos funcionários. Portanto, líderes devem ficar sempre atentos aos processos e orientar a equipe para que tudo ocorra de acordo com as normas estabelecidas. Também é importante ressaltar que a tecnologia utilizada pelas companhias deve acompanhar a evolução do mercado, ou seja, necessita ser moderna.

Assim, concluo que a análise de dados é hoje um elemento de ouro nos negócios, pois traz insights que melhoram o atendimento do cliente, reduzem os custos operacionais, aumentam a produtividade, entre outros benefícios que podem ampliar significativamente o diferencial competitivo das empresas. Porém, sem uma forte cultura data-driven, não é possível aproveitar todo o potencial que as informações têm a oferecer. É por isso que líderes devem ser os principais difusores de uma filosofia baseada em dados para que todos os setores abracem este cenário, tornando processos mais assertivos.

<em>Armindo Sgorlon</em>
Armindo Sgorlon

atua como empreendedor desde os 23 anos. O empresário possui MBA em Gestão Estratégica pela USP e acredita que a tecnologia é capaz de transformar todos os setores e negócios. É CEO da SGA TI em Nuvem, desde a fundação em 2010. A empresa é especializada em soluções de tecnologia em nuvem, modernização de dados e cibersegurança.