O INTERESSE DOS GIGANTES

O mercado de startups concentra, atualmente, mais de 10 mil empresas em todo país, segundo a Associação Brasileira de Startups (Abstartups). Esse é um segmento em franca expansão e ainda há espaço para soluções e iniciativas inovadoras.

Ao dividirmos o mercado em segmentos, notamos que existem alguns setores que ganham mais velocidade e corpo, como é o caso dos setores financeiros (Fintechs), de agronegócios (Agtechs), recursos humanos (HR Techs), educação (EdTechs), entre outros.

O interessante é observar que, o que começou como uma briga por mercado, se tornou uma aliança que beneficia a todos. Estou falando da relação entre startups e grandes empresas. Costumamos brincar aqui na PiaR que as startups são como jet-skis, ou seja, pequenos e velozes, capazes de manobras ágeis. Por outro lado, as empresas são como transatlânticos, com forte estrutura, mas mais lentos e difíceis de mudar de rota.

No boom das startups, por volta de 2010, vimos muitas empresas ‘em pânico’, inclusive acionando medidas jurídicas contra algumas startups. Tudo isso, porque essas soluções tecnológicas chegaram com força e conquistando o coração de muitos clientes (justamente por serem mais velozes e menos burocráticas). Porém, apenas uma intensa queda de braços, muitos players gigantes deixaram de brigar e notaram que era mais vantagem se unir às startups.

Desde o final de 2017, é crescente o número de matérias na mídia mostrando empresas tradicionais comprando startups, firmando parcerias ou mesmo criando programas de incentivo à inovação. É o caso do banco Bradesco, por exemplo. Uma das maiores instituições financeiras do país costuma fazer uma série de investimentos em startups de diferentes setores, além de oferecer um espaço propício para criação de novas ideias, como é o inovaBra Habitat.

O Itaú, outro gigante financeiro, tem o CUBO, espaço onde habitam cerca de 70 startups, em andares devidamente destinados aos setores em expansão no país. Mas não são só as empresas financeiras que estão de olho no ecossistema de startups. A Porto Seguro conta com a Oxigênio, aceleradora com fortes iniciativas do país.

Enfim, citei as ações acima apenas para ilustrar que é muito mais vantagem unir forças e ganhar relevância no mercado, do que ficar brigando com o inevitável. Afinal, as startups chegaram para ficar e é melhor aceitar e se adaptar ao novo mercado 😉

*Por Renniê Paro

RESULTADOS PIAR Q1

Em 2019, caiu por terra a premissa de que o ano só começa depois do carnaval. No primeiro mês do ano, já tivemos a posse de um dos Presidentes mais polêmicos da história política brasileira, a tragédia de Brumadinho e a morte de alguns famosos. Isso fez com que nosso desafio diário de conseguir espaços na mídia se tornasse ainda maior, tendo como nosso maior inimigo o tão temido factual.

Porém, nossa equipe está sempre atenta e focada em atingir os melhores resultados. Vou destacar aqui os principais resultados que tivemos nesse atribulado Q1. Começo destacando os resultados que tivemos com a Trustvox, primeira certificadora de reviews do Brasil, que foi adquirida pelo Reclame Aqui. A notícia foi destaque nos principais veículos de negócios do Brasil, como: Valor Econômico, Meio & Mensagem e DCI.

Em janeiro, também conquistamos um espaço na Revista Forbes, na matéria que mostrou os mais importantes empreendedores abaixo de 30 anos no brasil, com a Mariana Vasconcelos, fundadora da Agrosmart, empresa de agricultura digital líder na América Latina. A startup foi novamente destaque em fevereiro com publicações na Revista Veja, Jornal Folha de São Paulo e no site da PEGN.

Neste período, a DIWE, agência de profound marketing, anunciou a entrada de uma diretora comercial na operação, e teve resultados nos principais veículos de propaganda e marketing do país, entre eles, o Meio & Mensagem, e uma matéria sobre o mercado de marketing digital no Propmark. O Qranio foi case de sucesso no Blog Plano de Negócios, no Portal Folha de São Paulo.

Além disso, tivemos a estreia do really show musical The Four, formato da Endemol Shine Brasil, uma divisão da Endemol Shine, na Record TV, que ganhou as páginas do Propmark, Folha de São Paulo e Jornal O Estado de São Paulo, além de publicações nos portais Terra, Observatório da Televisão e Grandes Nomes da Propaganda.

Já em março, a TelaVita, empresa de psicologia online que visa democratizar e transformar o acesso à saúde e bem-estar com autoridade e inovação, falou para o Jornal Folha de São Paulo sobre a síndrome de Burnout, que tem afetado grande parte dos empreendedores. A Liv Up, startup de alimentação saudável, também teve um ótimo resultado na Revista Prazeres da Mesa, uma das principais da setor de gastronomia do país.

Por fim, vale ressaltar as matérias da Konduto, empresa brasileira de antifraude para transações online, no Jornal Estado de Minas, Eventbrite, plataforma global online de eventos, no Jornal Folha de São Paulo, e upLexis, empresa de software que desenvolve soluções de busca e estruturação de informações extraídas de grandes volumes de dados (Big Data) coletados da internet e outras bases de conhecimento, no Canal Tech.

*Por Bruna Sant’Anna Froner

RESULTADOS PIAR Q1

Mais um trimestre chega ao fim e vale fazer um balanço sobre esse Q1. Mesmo com os altos e baixos nesse início do ano, diversas tragédias, bombas políticas e assuntos factuais tomando conta dos telejornais a todo tempo, acredito que conseguimos conquistar resultados qualificados na mídia e trazer evidência para os nossos clientes em diferentes veículos.

O objetivo desse texto é destacar algumas matérias que considero que foram importantes nesse período. Começo pelo resultado que tivemos na Revista IstoÉ Dinheiro com uma matéria sobre o mercado de educação com dados da Associação Brasileira de Startups, onde algumas empresas que não são de educação, mas que investem nesse segmento, proporcionando tecnologias inovadoras, puderam participar como é o caso da Samba Tech, pioneira na distribuição de vídeos online na América Latina e da Fullface, solução de biometria facial.

Quando falamos sobre internacionalização, pensamos logo de cara no StartOut Brasil, programa de internacionalização de startups promovido pelo Governo Federal. No dia 11 de março foram abertas as inscrições para o ciclo Toronto e conseguimos sair em matérias na Exame.com, Estadão, jornal DCI, entre outros.

O mercado de delivery vem crescendo absurdamente, e com isso muitas empresas têm adaptado seus sites e aplicativos para aumentar suas vendas, como é o caso do Supermercado Now, maior plataforma de supermercado online, que foi case de sucesso em uma matéria da Folha de S. Paulo.

Na semana do dia 19 a 21 de março, a PagBrasil, fintech líder em processos de pagamento para e-commerce, participou do evento Money 20/20 e conseguimos exposição sobre esse assunto no jornal DCI. Ainda quando falamos sobre eventos, o Estado de Minas deu uma nota sobre o RH on The Road, maior evento de RH itinerante do Brasil, que será realizado em Belo Horizonte no dia 10 de abril pela Solides, HR Tech especialista em gestão comportamental.

Por fim, vale ressaltar os veículos regionais que estivemos presentes. Com uma matéria sobre o dia da mulher, a Solides também foi destaque no Gazeta do Povo. Já a Samba Tech, saiu no Estado de Minas com uma matéria bem completa sobre seu crescimento e sua atuação no mercado de vídeos. Claro que não podemos esquecer da Oitchau, aplicativo de ponto digital que recebeu um investimento recentemente e foi destaque no Estado de Minas.

*Por Juliana Gusmão

EVENTOS PARA EMPREENDEDORES QUE ACONTECEM NO SEGUNDO TRIMESTRE DE 2019

Para manter sua empresa no mercado, é importante encontrar maneiras inteligentes de expor sua marca, conhecer novos clientes e parceiros, além de ficar atento à concorrência. A participação em feiras, workshops e palestras é uma das estratégias encontradas pelos empreendedores para fazer tudo isso de uma vez só, em um só lugar!

Segundo dados da Fipe – Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas para a entidade, o Brasil é o país que mais realiza eventos na América Latina, promovendo mais de duas mil feiras B2B por ano em todo o território nacional. Isso mostra que o empreendedor brasileiro conhece o valor de um bom networking.

Para facilitar a sua busca por eventos interessantes, separamos algumas atividades voltadas para empreendedores que ocorrerão em abril, maio e junho. Confira!

StartOut Brasil
O programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo está com inscrições abertas até 8 de abril para o segundo ciclo de 2019, que será em Toronto, no Canadá. Para participar, é necessário ter faturamento ou já ter recebido algum tipo de investimento. Serão selecionadas 15 startups brasileiras que terão a oportunidade de embarcar para o Canadá em junho para se conectar com possíveis clientes, parceiros e investidores, além de fazer uma imersão no vasto ecossistema de inovação local.

Fraud Day
No dia 11 de abril, a Konduto, empresa brasileira de antifraude para transações online, realizará um encontro focado na prevenção à fraudes em e-commerces e pagamentos digitais com palestras de especialistas em análise de risco de grandes varejistas, fintechs e aplicativos. As inscrições vão até o dia 10 de abril.

Techstars Startup Weekend São Paulo Construtech
Startup Weekend, um evento TechStars, traz para os participantes os melhores métodos para inovar e validar ideias de projeto ou negócio. Será um fim de semana intenso, começando na sexta-feira à noite (24/05) e terminando no domingo (26/05) com a apresentação das startups montadas diante de um júri formado por representantes de grandes empresas, aceleradoras, investidores e muito mais.

SheCommerce Brasil – Empreendedorismo & eCommerce
SheCommerce é a primeira conferência internacional criada com o objetivo de unir, ensinar e inspirar uma nova geração de mulheres a construírem impérios de comércio digital. Em sua 5ª edição,  pela primeira vez no Brasil, o evento reunirá mais de 400 congressistas e 10 palestrantes em um dia repleto de conteúdo de alto nível técnico de e-commerce, com formações técnicas em o que há de mais novo no mundo do comércio digital.

Superlógica Xperience
É o maior evento sobre economia da recorrência da América Latina. Com 1.300 participantes em 2017 e 2.400 em 2018, o Superlógica Xperience trouxe mais de 60 horas de conteúdo sobre Economia da Recorrência e SaaS para os maiores empreendedores da América Latina que puderam expandir seu networking através das parcerias em nossa Feira de Negócios. Para este ano, o evento promete ainda mais novidades e acontece entre os dias 6 e 7 de junho.

Whow! 2019

É o maior festival de inovação para negócios do Brasil. Nos dias 23, 24 e 25 de Julho, os participantes poderão se conectar com os mais brilhantes ícones do empreendedorismo brasileiro, visitar ecossistemas exclusivos e fazer o networking mais ousado da sua vida.

*Por Bruna Sant’Anna Froner

DO BRASIL PARA O MUNDO!

Nos últimos anos, a palavra internacionalização vem se destacando no segmento de startups. O termo se refere a empresas que estão expandindo sua atuação para diferentes países, seja com a exportação de um produto ou serviço, seja pela abertura de uma filial no exterior. Esse é o sonho da maioria dos empreendedores, ter sua marca reconhecida globalmente.

Segundo o Global Entrepreneurship Monitor (GEM) 2018/2019, estudo realizado por pesquisadores de mais de 100 países diferentes, a internacionalização de uma startup pode ser influenciada por diversos fatores como políticas de livre comércio, procedimentos simples e não restritivos, logística eficiente e econômica, fronteiras compartilhadas e cooperação entre culturas comuns e economias linguísticas.

Para iniciar esse processo, é necessário passar por uma série de etapas. A primeira é fazer uma boa pesquisa de mercado e entender se o país para o qual você pretende expandir a sua empresa será receptivo ao seu produto ou serviço, quais são os seus concorrentes e, principalmente, as leis e tributações que envolverão a sua operação.

O segundo passo é o planejamento. Elabore um plano estratégico que envolva ações de marketing e a contratação de colaboradores que trabalhem localmente. Dependendo do seu negócio, é interessante ter um time local, que conheça possíveis barreiras culturais e o ajude a driblá-las.  

Outro ponto que é importante é ter parceiros locais, como fornecedores e distribuidores, que permitam que você atue com segurança no exterior. Por muitas vezes, as tarifas para exportar uma matéria prima do Brasil para fora são altíssimas, o que pode acabar impactando negativamente no faturamento da sua empresa.

O Brasil é ainda considerado um dos países menos internacionalizados do mundo. Para mudar essa realidade, já existem algumas iniciativas para ajudar startups em ecossistemas externos. Um exemplo disso é o StartOut Brasil, programa de apoio à inserção de startups brasileiras nos mais promissores ecossistemas de inovação do mundo.

O projeto surgiu com a meta de maximizar o volume de negócios de startups com o exterior e em um ano de programa, mais de 56 startups já foram levadas para imergir nos ecossistemas de Buenos Aires, Paris, Berlim, Miami, Lisboa e Santiago. Em junho, o StartOut Brasil vai apoiar mais 20 empresas, desta vez em Toronto.

Por isso, é imprescindível entender que expandir para um outro país requer muito preparo, porém, com a ajuda especializada, boas parcerias locais e um bom plano de atuação completo, as chances de sua empreitada dar certo são muito maiores. E você, já está preparado para internacionalizar sua startup?

*Por Bruna Sant’Anna Froner