PROFISSIONAIS DA EDUCAÇÃO MERECEM TODO NOSSO RESPEITO

Para quem não sabe, em 2014 foi instaurado a lei nº13.054/14 na qual reconhece os valores de todos os integrantes de escolas públicas/privadas e que exercem a pedagogia com muito afinco e dedicação, mesmo diante de tantos problemas encontrados em um país com tanta desigualdade social. E é no dia 06 de agosto que é comemorado o dia do Profissional da Educação.

Categoria essa que merece todo nosso respeito e atenção, não só pelas dificuldades que enfrentam em termos de falta de verba, valorização do seu trabalho, investimento e má remuneração, mas também por ter como missão educar milhões de pessoas e torná-los cidadãos do bem.

Nesse cenário de aprendizagem, apesar da vista grossa de muitos governantes, há uma esperança quando as startups chegam com soluções inovadoras para ajudar, não só os professores, mais também os alunos. Para se ter uma ideia, de acordo com o mapeamento edtech, realizado pela Associação Brasileira de Startups (Abstartups) e pelo Centro de Inovação para Educação Brasileira (CIEB), mais de 70,6% das startups voltadas para educação são soluções destinadas para o ensino básico, seguido de 48,11% para ensino fundamental e 22,49% para ensino infantil.

Algumas empresas têm se destacado bastante nesse mercado, proporcionando facilidades, engajamento e ferramentas para auxiliar no aprendizado tanto de crianças, como de adultos e colaboradores.A Schoolastic, por exemplo, é uma plataforma cloud para o segmento educacional que fornece um assessment sobre alunos do ensino básico e universitário acerca do desenvolvimento das habilidades socioemocionais. Ou seja, a partir de um big data com quatro dimensões de dados (acadêmicos, comportamentais, físicos e saúde), a startup acelerada pelo programa InovAtiva Brasil 2018.2 gera relatórios que permitem aos pais e educadores conhecerem as potencialidades e gaps de desenvolvimento de cada aluno.

Entendendo que a escrita e a leitura são as mais potentes formas de expressão humana, a AED Tecnologia, criou a Biblioteca Acessível, que oferece um tablet e um mouse braile para auxiliar pessoas com deficiência visual a terem acesso à leitura de materiais digitais. Atualmente, a empresa acelerada pelo programa InovAtiva Brasil está presente em 82 escolas públicas municipais de Fortaleza auxiliando os estudantes a ler em braile. Nos últimos cinco anos a iniciativa gerou uma economia de mais de R$ 9 milhões na compra de livros em braile apenas em Fortaleza.

Por fim, para ajudar os sistemas de ensino e editoras que precisam adaptar seus materiais para o ambiente digital, a Desenrolado, maior produtora de conteúdo digital educacional do Brasil, tem como objetivo melhorar o engajamento dos alunos durante processo de aprendizagem por meio de videoaulas personalizadas, vlog, audiolivro, chats, podcasts, trilhas digitais, dentre outros materiais educacionais.

Vale a pena ficarmos de olho nesse ecossistema e no que as startups têm de inovador para nos oferecer!

*Por Juliana Gusmão

MONITORANDO A CONCORRÊNCIA

Se existe uma característica presente nos empreendedores que se destacam em seus mercados, com toda certeza é a paixão pelo seu negócio. Eles acreditam no potencial da empresa e buscam sempre se aprimorar para que se tornem as melhores opções para seus públicos.

Claro que carregar essa paixão e confiança em seu potencial é sim algo saudável e necessário para que o desejo de navegar por novos mares ainda não explorados continue e faça com que a empresa inove e cresça.

Porém, existem alguns casos em que o amor se torna cego, e é preciso colocar os pés no chão. Além de acreditar no seu negócio, acompanhar o mercado que está inserido e seus concorrentes (mesmo aqueles que não sejam competidores diretos) também é uma atividade que deve fazer parte da sua rotina. Dessa forma, você não só se mantém atualizado sobre o seu nicho, como também é possível coletar alguns insights para complementar suas estratégias.

Existem algumas ferramentas acessíveis que dão aquela mãozinha na hora de fazer esse levantamento. Uma delas é o próprio Google Alerts, onde você pode incluir os assuntos que são de seu interesse e um relatório será enviado para o seu e-mail. Outra opção do Google é o Google Trends, onde é possível coletar os termos mais populares pesquisados recentemente.

Apesar de ter ótimas ferramentas, não só de Google vive uma pesquisa, certo? O SEMRush é uma boa opção para insights por busca de palavras-chaves. Por último, a Zeeng é uma plataforma em que é possível realizar o monitoramento da presença digital de uma marca. Nela podemos levantar dados das redes sociais, site e inserções na mídia, como blogs e portais de notícias.

Se o que você procura são ferramentas simples que rendem bons resultados, essas são algumas das que não podem faltar na sua lista de favoritos do navegador! Entretanto, é preciso manter o equilíbrio e não deixar que esse levantamento se torne uma arma. Não é porque o seu concorrente está se destacando no mercado com o lançamento de um novo serviço ou assunto, que você precisa correr para fazer igual.

Aqui vale deixar toda a ansiedade de lado e colocar a estratégia em primeiro lugar. Avalie o seu produto/serviço ou conteúdo e veja se vale a pena adaptar ou mudar algo. Compare os pontos positivos e negativos entre você e seu concorrente, mas não se esqueça que fazer algo só porque ele está fazendo, não é a melhor das opções. Deixe as emoções de lado e use e abuse dos dados!

*Por Jéssica Aguiar

COMO NÃO SURTAR DIANTE DE TANTAS NOTÍCIAS NEGATIVAS?

Desde que as fake news começaram a bombar, tivemos que redobrar nossa atenção e cuidado com as informações que consumimos na internet e nas redes sociais. Agora com pandemia provocada pelo Covid-19, mantermos a calma e os pés no chão tem sido primordial para que nossa sanidade mental esteja em dia.

O grande problema é que essa situação inesperada e traumática tem causado inúmeras incertezas e dúvidas a população. Isso tem sido um dos gatilhos que, infelizmente, bloqueia o filtro das pessoas para distinguirem o que é uma notícia verdadeira ou não, o que na maioria das vezes acarreta no compartilhamento de informações inverídicas.

Acho que o ponto principal desse texto é orientá-los a consumirem notícias de uma forma mais leve, menos invasiva ou até menos alertá-los de que não da para acreditarmos em tudo que recebemos nos grupos de whatsapp sem ao menos verificar a fonte e a credibilidade do veículo que publicou. Isso tem sido o maior erro de grande parte dos indivíduos – leem somente a manchete, não abrem a matéria para visualizar o conteúdo completo e não se certificam se aquilo é ou não real.

Por isso, se cabe dar um conselho, sempre se informe pelas mídias mais tradicionais como Folha de S. Paulo, Estadão, Valor Econômico, Exame.com, jornais televisivos (de todas as emissoras porque cada um tem sua abordagem), entre outros. Se você é um adepto frequente das redes sociais, procure seguir mídias mais leves e só compartilhe aquilo que você tem certeza da procedência. Outra dica, ao invés de ficar somente de olho nos fatos ruins, procure por notícias que mostrem o que tem sido feito de bacana no país, quais ações os empreendedores têm feito para superarmos essa crise, entre outros. Só assim conseguiremos nos manter informados sem maltratar nossa saúde mental. Fica a dica!

*Por Juliana Gusmão

AGRICULTURA 4.0: A INOVAÇÃO DE PONTA A PONTA NO CAMPO

A inovação já é uma realidade em diversos setores da nossa economia e a agricultura com certeza é um deles! E não é para menos, afinal, o agronegócio representa hoje 23% do produto interno bruno (PIB) e é o nicho produtivo que mais cresce no país.

E isso só é possível graças as agtechs, startups voltadas para tecnologias no campo, que transformaram o segmento, tal qual como as fintechs fizeram com o setor financeiro e como as health techs que transformaram a saúde, algo que foi perceptível durante a pandemia de coronavírus.

Atualmente, é possível encontrar soluções tecnologias em todas as pontas, desde a escolha das melhores sementes, passando pelo plantio, colheita, transporte adequado e venda, o que garante a qualidade do produto em todo o ciclo. Qualidade essa muito importante atualmente com a mudança de comportamento do consumidor.

Afinal, temos exigido cada vez mais qualidade nos alimentos que colocamos em nossa mesa e isso tem refletido automaticamente na busca dos agricultores por novas soluções que permitem uma gestão completa de toda a cadeia, deixando-a mais eficiente e sustentável.

O cliente quer saber a origem do que está comprando e se todo o processo foi realizado de forma adequada, preservando ao máximo os recursos naturais. E é a conexão de todas as pontas que garante isso!

Um manejo adequado do solo, com cruzamento de informações sobre o clima, diminui o consumo de água e de outros insumos, derrubando custos da produção, traçando uma relação de ganha-ganha entre todos os envolvidos. Neste contexto, a tecnologia é o pilar fundamental da união entre todos esses pontos. Hoje, é possível afirmar que ainda veremos mudanças enormes na agricultura, graças às mudanças de comportamento da sociedade, que vão incluir o surgimento de novas ferramentas tecnológicas cada vez mais precisas e que garantirão o mundo melhor para as futuras gerações.

*Por Bruna Sant’Anna Froner

marketing-das-grandes-marcas

QUAIS AS PRINCIPAIS MUDANÇAS APLICADAS NO MARKETING DE GRANDES MARCAS?

Não é novidade que a pandemia no Covid-19 mudou bastante diversas situações em nossas vidas. Com o isolamento social, tivemos que nos reinventar para continuar dando andamento nas atividades já costumeiras, como pagar contas, fazer exercícios físicos, realizar compras e até mesmo trabalhar, mesmo que em casa. Com as marcas, não foi diferente, pois tiveram que se posicionar e encontrar alternativas para continuar impactando seus clientes e vendendo.

No início da quarentena, com as lojas parcialmente fechadas, grande parte do mercado varejista se viu refém da situação e tiveram que mudar suas estratégias, focando prioritariamente em comunicação digital.  Afinal, a maior parte da população passou a usar com mais frequência o celular para realizar diversas atividades.

E acredito que isso não irá mudar após voltarmos a rotina tradicional. Vejo que os profissionais de marketing terão um desafio maior ainda para alinhar a comunicação das marcas em canais diferentes, mas que ao mesmo tempo conversam entre si e contribuem com o sucesso não só de vendas, mas também na consolidação das marcas.

Para se ter uma ideia do caminho que as marcas devem percorrer daqui pra frente, um estudo realizado pela Kantar, consultoria que realiza diversas pesquisas, mostra que a população espera que a as empresas mostrem quais têm sido seus esforços para ajudar a enfrentar essa nova realidade, ou seja, que sirvam de exemplo e auxiliem seus consumidores no dia a dia, guiando as pessoas para colaborarem com a sociedade no momento atual.

Ao meu ver, com toda essa mudança e com o “novo normal” vindo aí, os gestores das áreas de marketing digital terão mais desafios para continuar criando e atingindo seus público da melhor forma. E o ponto principal disso tudo está relacionado ao tipo de mensagem que cada marca quer passar para seus clientes, ou seja, a forma como elas se relacionam com as pessoas ganhou muito mais evidência e é isso que fará total diferença daqui pra frente.

E para quem ainda não tem uma equipe de PR como parceira nesse momento, te aconselho a procurar por uma. Afinal, não basta somente criar ações de marketing baseadas nas redes sociais, inbound marketing, entre outros, um bom trabalho de PR ajuda a consolidar ainda mais sua marca em seu mercado de atuação e a aumentar a capilaridade da sua empresa. Pense nisso!

*Por Juliana Gusmão